Províncias

Associação filantrópica na província aposta na redução do analfabetismo

Domingos Mucuta | Lubango

A alfabetização e a formação profissional de mulheres, homens adultos e jovens desfavorecidos são as principais apostas da Associação dos Antigos Alunos Teresianos em Angola, anunciou, no Lubango, a presidente do Conselho de Administração da agremiação, a­fe­cta à Igreja Católica.

A alfabetização e a formação profissional de mulheres, homens adultos e jovens desfavorecidos são as principais apostas da Associação dos Antigos Alunos Teresianos em Angola, anunciou, no Lubango, a presidente do Conselho de Administração da agremiação, a­fe­cta à Igreja Católica.
 Fátima Saiundo, que falava à margem da 1ª assembleia-geral da associação, disse que as sessões de alfabetização são realizadas na sede de Viana, Luanda, e nas paróquias das províncias de Benguela, Bié, Huambo e Huíla.
 A responsável disse que o objectivo é contribuir com acções concretas e sensibilização de mulheres, homens adultos e jovens para aderirem ao Programa de Aceleração Escolar, visando reduzir os índices de analfabetismo em Angola.
“O país tem uma boa parte da população na condição de analfabeta e nós, que tivemos o privilégio de aprender de forma multifacetada com as irmãs, estamos a fazer um esforço no sentido de dar um pouco àqueles que precisam”, disse.
 Segundo Fátima Saiundo, a associação realiza todos os anos cursos profissionais de culinária, corte e costura, educação para a saúde e outros.
A organização prevê para os próximos meses a conclusão das obras de construção de um complexo escolar em Viana, destinado a proporcionar formação académica de nível primário e técnico profissional.
 
Retribuição do bem
 
A presidente da associação, Cândida Celeste, disse na abertura da assembleia-geral que os antigos alunos teresianos retribuem os conhecimentos em prol da sociedade, como reconhecimento dos “grandes e bons feitos” de formação religiosa e profissional.  Cândida Celeste sublinhou que o trabalho desenvolvido pela associação visa melhorar as condições dos grupos mais desfavorecidos da sociedade com acções concretas, especialmente na formação, educação e reconciliação das famílias.
 “O fiel leigo não pode nunca fechar-se em si mesmo, isolando-se espiritualmente da comunidade, mas viver num contínuo intercâmbio com os outros, com um vivo sentido de fraternidade, na alegria de igual dignidade”, argumentou.
 O padre da Sé Catedral, Jonas Simão Pacheco, considerou a As­sociação dos Antigos Alunos Teresianos como um instrumento de evangelização da igreja na perspectiva da espiritualidade de Santa Teresa.  
Jonas Simão Pacheco enalteceu os homens e mulheres que sonharam em concretizar o projecto de criação da organização, augurando que “Deus, a origem de todo o bem, sustente a associação e a faça florescer.

Tempo

Multimédia