Províncias

Aumento de casos preocupa as autoridades

Arão Martins | Lubango

O aumento de doenças cardiovasculares e metabólicas, com consequências onerosas para o Sistema Nacional de Saúde e para a sociedade no geral, exige mudanças no estilo de vida, para diminuir os factores de risco, defendeu na quinta-feira, na cidade do Lubango, o governador provincial em exercício da Huíla, Sérgio da Cunha Velho.

Direcção do Hospital Central do Lubango promove simpósio de doenças cardiovasculares
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

O responsável, que falava na abertura do primeiro simpósio de “Doenças cardiovasculares e metabólicas”, promovido pela direcção do Hospital Central do Lubango, Dr. António Agostinho Neto, reconheceu que os casos cardiovasculares constituem um problema para o mundo, mas referiu que a diminuição da mortalidade por esta doença só é possível quando se aposta, sobretudo, na prevenção.
Sérgio da Cunha Velho considera as doenças cardiovasculares como as principais causas de morte no mundo, referindo que tais estatísticas podem ser explicadas, principalmente, pelos maus hábitos de vida da população.
“Observamos com alguma preocupação uma alimentação não balanceada, rica em gordura saturada, aliada ao sedentarismo. Esta maneira desregrada dá origem à hipertensão, diabetes e outras doenças, com risco de o indivíduo ter um problema cardíaco no futuro”, argumentou. 
O vice-governador provincial manifestou igualmente preocupação em relação à diabetes mélitu, que em Angola atinge actualmente cerca de 2,5 milhões de pessoas o que, para ele, constitui uma preocupação das autoridades, na medida em que se trabalha  para o seu diagnóstico precoce e controlo adequado.
A directora-geral do Hospital Central do Lubango, Antónia Constantino, disse que o aumento de pessoas que dão entrada na instituição devido a problemas cardiovasculares e metabólicas constitui uma caso de preocupação.“Não temos dados estatísticas ou números reais dos casos, mas sabemos que são situações com condições patológicas prevalentes, que são diagnosticadas todos os dias. Temos doentes na urgência e internados, também, com alguma frequência, com doença cardíaca descompensada”, esclareceu.
Antónia Constantino explicou que grande parte dos doentes que aparecem com casos de enfartes agudos neocarmes desconhecem que padecem da patologia coronária e muitos destes são relativamente jovens, o que constitui uma preocupação, daí ter alertado para a necessidade de efectuar-se check-up e não se esperar por uma recaída aguda que, muitas vezes, pode ser fatal.
Desde 2015 que a direcção geral do Hospital Central do Lubango regista um aumento  progressivo de casos cardíacos esquêmicos e há um aumento muito mais acentuado dos acidentes cérebro-vasculares (AVC). Como uma das medidas para se evitar a doença cardiovascular, a directora do hospital aconselha as pessoas a uma mudança de hábitos alimentares. O tabagismo e uma série de factores juntos e presentes no indivíduo aumentam o risco de contrair-se a doença.
Durante o simpósio, foram debatidos temas como “A importância dos factores de risco e suas mudanças em Angola”, “A conduta terapêutica actual da hipertensão arterial, uma doença muito frequente na prática médica diária” e “A aterosclerose e a importância dos transtornos dos límpidos na doença.

Tempo

Multimédia