Províncias

Bairros periféricos do Lubango com mais água

Estanislau Costa | Lubango

Mais de 20 mil casas das zonas suburbanas da cidade do Lubango, na província da Huíla, beneficiam pela primeira vez de água potável e saneamento básico condigno, com o arranque, há dias, do Programa de Desenvolvimento Institucional do Sector de Águas (PDISA-I), disse ontem o director provincial de Energia e Águas.

População de bairros periféricos do Lubango deixa de percorrer longas distâncias em busca de água para o consumo diário
Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro - Huíla

Abel da Costa explicou, durante a apresentação do projecto aos responsáveis dos bairros contemplados, que vão, num período de três anos, ser instalados 140 quilómetros de condutas de distribuição de água potável.
O projecto, disse Abel da Costa, a cargo da empreiteira Elecnor, visa ampliar a capacidade de distribuição e fornecimento de água potável e beneficiar as áreas do município sede com dificuldades de acesso ao produto. “Cadastrámos já a maioria das moradias previstas”.
“Os habitantes dos dez bairros abrangidos pelo projecto vão brevemente deixar de percorrer longas distâncias em busca de água em locais com carência de sanidade”, disse Abel da Costa, para acrescentar que o pagamento do consumo vai ser justo, com a instalação de contadores.
O director provincial de Energia e Águas informou que a execução do Programa de Desenvolvimento Institucional do Sector de Águas (PDISA-I) prevê a reposição das infra-estruturas públicas a serem danificadas, com realce aos passeios, lancis e tapete asfáltico das avenidas abrangidas. “Alguns pontos do casco urbano da cidade do Lubango estão com as estradas degradadas, face as obras anteriores de instalação de novas condutas de transporte e abastecimento de água potável, que criou embaraços à circulação rodoviária”, disse Abel da Costa, para explicar que o novo programa prevê a reparação das vias a serem danificadas com a escavação.
Abel da Costa apelou aos moradores para preservarem os equipamentos que estão a ser instalados, com vista a aumentar a sua durabilidade. “Há bairros da cidade do Lubango com água a jorrar nas torneiras, fruto das acções levadas a cabo no ano passado, com os contadores vandalizados.”
Abel da Costa anunciou que mais de 400 contadores foram vandalizados e roubadas as respectivas caixas de conservação, por pessoas de má-fé. “Os proprietários das casas com contadores instalados devem proteger e controlar os meios colocados a disposição, para durem mais tempo e manter a qualidade do fornecimento de água.” Orçada em mais de 2.1 mil milhões kwanzas, a empreitada, financiada pelo Banco Mundial (BM), vai abranger os bairros Cow-boy, Benfica, Nzaji, Comandante Dack-Doy, Luta Continua, Patrice  Lumumba, uma das áreas do Ferrovia, Mapunda, Nzaji e Agostinho Neto.

Conservar o património


O administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, enalteceu o arranque do programa financiado pelo Banco Mundial e pediu maior vigilância da população, principalmente a residente nas zonas periféricas, por estar a assistir-se neste momento a vandalização do património público.
“Há certos indivíduos que na calada da noite destroem intencionalmente os candeeiros eléctricos, roubam os cabos de alta e média tensão, assim como os tubos e contadores de água potável”, disse Francisco Barros, para enaltecer as autoridades policiais no patrulhamento e desmantelamento de certos grupos de marginais.
Francisco Barros exortou os responsáveis comunais e de bairros a trabalharem mais com os moradores, no sentido de cada um ser vigilante da sua zona e denunciar os suspeitos às esquadras mais próximas, de modo a preservar os bens públicos, que estão a melhorar o bem-estar das famílias.
“Os vários projectos que visaram o aumento da capacidade de abastecimento de água potável, com realce para os Programas Água para Todos, de iniciativa presidencial, da reabilitação dos sistemas de captação e das condutas de transportes, financiado pelo governo Alemão e outros, devem ser preservados”, disse Francisco Barros.
 O Jornal de Angola apurou que foram erguidos recentemente mais de 140 pontos de água equipados com reservatórios, painéis solares e lavandarias, orçados em mais de 470 milhões de kwanzas.
O Programa Águas da cidade do Lubango permitiu já a instalação de mais de 57 quilómetros de nova tubagem, construiu seis reservatórios com capacidade para 60 mil metros cúbicos de água e efectuou 700 novas ligações em residências e empresas.

Tempo

Multimédia