Províncias

Barragens da Quihita e Gambos em obras

As consequências da seca que afecta regularmente o sul da província da Huíla vão ser atenuadas com a construção, na Quihita, Chibia, e próximo da embala dos Gambos, de duas barragens capazes de armazenar 550 milhões de litros de água.

Projecto de construção de barragens tem como objectivo minimizar as consequências da seca que afecta localidades da província da Huíla
Fotografia: Arimateia Baptista | Huíla

A instalação dos reservatórios, em zonas do percurso do rio Caculuvar, orçada em cerca de 75 mil milhões de kwanzas, permite às famílias das zonas afectadas pela estiagem cultivar diversos produtos em terras aráveis.
O governador provincial da Huíla, que visitou as áreas dos futuros reservatórios, disse que o programa se enquadra num conjunto de acções destinadas a soluccionar definitivamente o problema da seca.
A seca, afirmou, atrasa o desenvolvimento das povoações, comunas e do município, por prejudicar os animais e o cultivo de vários produtos.
“Somente as barragens são capazes de proporcionar água em abundância por um longo período”, referiu o governador João Marcelino Tyipinge.
Uma equipa multi-sectorial vai desenvolver campanhas de sensibilização e de ensino de técnicas de cultivo de cereais e hortofrutícolas junto das famílias que se dedicam apenas à criação de gado para poderem começar a trabalhar também na agricultura.
O programa inclui igualmente a construção de reservatórios  nas comunas de Impul e Arimba, cada um deles capaz de armazenar 150 milhões de litros de água.  Na comuna de Arimba está previsto construir uma Estação de Captação e Tratamento de Água para abastecer os habitantes da nova centralidade da Eiva.

Fomento da agricultura

O Governo Provincial continua a promover programas de fomento da agricultura destinados a aumentar e diversificar a produção de alimentos e combater a pobreza nas zonas de seca.
Mais de nove mil habitantes do município dos Gambos já consomem água potável proveniente de cinco novos sistemas de captação e distribuição.
Os sistemas, instalados nas localidades de Munailongo, Viriabundo, Ompapa, Nhoca e Katoho, estão equipados com reservatórios, lavandarias e painéis solares que alimentam as bombas.  
Os criadores tradicionais de gado dos Gambos utilizam, além de outros fontanários, chimpacas reparadas e alargadas, que acumulam durante muito tempo razoáveis quantidades de água das chuvas. 
A comuna é muito quente e seca, embora em algumas alturas a chuva caia intensamente.
Até agora foram instalados no município dos Gambos mais de 15 fontanários de grande capacidade e 14 chimpacas.
Uma das fontes de aquisição de água para as pessoas e para o gado é o rio Caculuvar, que em breve passa a ter represas de enorme capacidade.

Tempo

Multimédia