Províncias

Boas perspectivas de produção do café

Arão Martins | Caluquembe

O plano destinado a revitalizar a produção de café arábica no município de Caluquembe, na Huíla, tem já disponíveis 16 mil plantas para fornecer aos produtores de diferentes localidades, disse o administrador da circunscrição.

Autoridades empenhadas em apoiar as associações de camponeses da localidade
Fotografia: Arão Martins |

José Arão Nataniel disse ao Jornal de Angola que o projecto de produção de café arábica no município de Caluquembe começou em Maio de 2009 e desde então tem havido resultados animadores."Temos estado a apoiar e a incentivar as famílias na produção de café, como forma de combater a fome e a pobreza no município.
Pedimos a todos os produtores da província para aderirem a esta iniciativa. Para quem estiver interessado, as plantas estão disponíveis" nas fazendas criadas na localidade de Caissaca, N­dondelo e nas comunas de Calepi e Sandula, disse
O administrador considerou a produção de café no município como economia alternativa e lembrou que a partir de Caluquembe já é possível exportar sementes de café para outras regiões.Na produção de café no município estão envolvidas 32 famílias, espalhadas por diversas localidades como Cue um e dois, Calongoti, Tchitupi, Calupele ou Tchavola.
A produção do café está a mudar a vida dos habitantes. A Administração de Caluquembe continua empenhada em apoiar as associações de camponeses. O município tem 180 associações e 37 cooperativas, o que perfaz 12 mil agregados familiares. José Arão disse ser preocupação do Governo agrupar os camponeses em associações para beneficiarem de apoio e acrescentou que o processo de juntar famílias em cooperativas contínua.
A atribuição do crédito de campanha decorre a bom ritmo. "Há ainda algumas áreas onde os camponeses estão ligeiramente atrasados na constituição de processos, embora haja um empenho grande das comissões criadas para o efeito, para que mais camponeses beneficiem do crédito no município", precisou.

Tempo

Multimédia