Províncias

Caça furtiva preocupa governo

Arão Martins |Quipungo

O vice-governador da Huíla para a área Social defendeu, no sábado, no município de Quipungo, o envolvimento das autoridades tradicionais locais na sensibilização sobre os prejuízos da caça furtiva no Parque Nacional do Bicuar, localizado naquela circunscrição.

O vice-governador da Huíla para a área Social defendeu, no sábado, no município de Quipungo, o envolvimento das autoridades tradicionais locais na sensibilização sobre os prejuízos da caça furtiva no Parque Nacional do Bicuar, localizado naquela circunscrição.
Sérgio da Cunha Velho, que falava por ocasião da tomada de posse do rei de Mukongo, localidade de Kahinda, a 60 quilómetros da sede municipal de Quipungo, disse que algumas pessoas praticam a caça furtiva no interior do parque, usando armas de fogo. “Precisamos que se preserve a fauna e a flora, daí a necessidade de as autoridades tradicionais se empenharem na sensibilização dos cidadãos”. 
Sobre o acto a que assistiu, o vice-governador da Huíla disse que o rei é a autoridade tradicional máxima. “Ele, como conselheiro de sobas e séculos, tem um papel importante”.
Sublinhou que a província da Huíla é uma das que maior número de armas entrega. “É preciso que o trabalho de sensibilização continue de forma a que os resultados sejam mais satisfatórios”, disse.

Tempo

Multimédia