Províncias

Caconda tem Arquivo de Identificação

Arão Martins | Caconda

O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, inaugurou em Caconda o Arquivo de Identificação Civil e Criminal.

Estão criadas as condições para que o processo de emissão do Bilhete de Identidade no município de Caconda seja rápido e seguro
Fotografia: Arão Martins|Caconda

A maioria da população de Caconda, cerca de 90 por cento, não tem BI. A população de Caconda é estimada em 159.908 habitantes. 
O Arquivo de Identificação Civil de Caconda dispõe de áreas de registo criminal, recolha de dados, atendimento prioritário, sala técnica, análise de documentos, entre outros.
O administrador municipal de Caconda, Adão César, salienta que a obtenção do Bilhete de Identidade vai ajudar os habitantes a aderirem aos outros serviços, como os registos de trabalho, de propriedade e de segurança social, tratar a carta de condução, abrir conta bancária e adquirir o passaporte.
No Arquivo de Identificação Civil de Caconda, os munícipes vão tratar igualmente, além do Bilhete de Identidade, o registo criminal e outros documentos pessoais.
O delegado provincial da Justiça na Huíla, António Baptista, salientou que o projecto de expansão dos serviços de Identificação Civil foi desenvolvido pelo Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos.
Na Huíla, o programa já contemplou os municípios do Lubango, com dois novos arquivos, Humpata, Caluquembe, Cacula e Quilengues. Para breve, segundo o delegado provincial da Justiça, os serviços de Identificação Civil vão chegar aos municípios do Cuvango e da Jamba. O Arquivo de Identificação do município de Caconda emite mais de 50 bilhetes por dia, embora tenha apenas sete trabalhadores.
O delegado  provincial da Justiça salientou que o processo de emissão do Bilhete de Identidade é fácil, rápido e seguro. "Basta apresentar a certidão narrativa completa do assento de nascimento ou cópia integral e não precisa de trazer fotografia", acrescentou António Baptista.

Tempo

Multimédia