Províncias

Cadastramento começa em breve na Huíla

Domingos Mucuta| Lubango

O processo de cadastramento e actualização de dados dos funcionários públicos no Sistema de Segurança Social começa em breve  na província da Huíla, anunciou ontem, no Lubango, o director nacional da instituição do Ministério da Administração, Trabalho e Segurança Social.

Jesus Maiato disse que a província da Huíla tem um total de 28.928 funcionários públicos e agentes administrativos registados no Ministério das Finanças como contribuintes. O responsável do Instituto de Segurança Social avançou que, neste momento, começa o processo de esclarecimento, que mobiliza em breve os técnicos para a formação sobre operação do sistema.
Afirmou que o processo, de nível nacional, visa o cadastramento dos funcionários inscritos e a actualização dos já incluídos no Sistema de Segurança Social, para facilitar a planificação das actividades de pagamento de pensões do instituto de tutela.
Jesus Maiato revelou que ingressaram nos último tempos muitos cidadãos na função pública como resultado dos concurso realizados, mas disse que muitos dos recém-recrutados, apesar de estarem nas folhas de salários e sofrerem descontos, não estão inscritos no Sistema de Segurança Social. “Muitos estão a ser descontados e a contribuir, mas não têm nenhum vínculo com o Instituto de Segurança Social, o que pode gerar problemas no futuro quando estes pretenderem obter algum benefício”, alertou.
Jesus Maiato explicou que o processo de actualização começa com a constituição do cadastro, consubstanciada com a recolha de informações pelo organismo, formação, confrontação de informações com o Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos e termina com a atribuição do cartão de segurado. Neste momento, o processo de cadastramento e a actualização de dados dos funcionários públicos no Sistema de Segurança Social já abrangeu cerca de 40 mil trabalhadores, na sua maioria de Luanda.
Jesus da Maiato, que falava no seminário sobre plano de cadastramento dos funcionários públicos e agentes administrativos na segurança social, considerou a província de Luanda como a região com o processo mais avançado em relação à outras zonas do país. O director nacional sublinhou que já há províncias, como o Cunene, Namibe e Cuanza Sul, em que o programa de formação de operadores do sistema de segurança social está a decorrer e em fase avançada de execução.
Jesus Maiato referiu que o Instituto Nacional de Segurança Social está a ser reformado e precisa de ter uma base de dados completa e actualizada. “O INSS paga direitos em dinheiro e deve ser planificado em benefício do segurado. A idade é um factor importante para benefício da reforma”, esclareceu.

Tempo

Multimédia