Províncias

Cafeicultores de Caluquembe receberam tractores e alfaias

Arão Martins | Caluquembe

Os cafeicultores de Caissaka, Calonhoha, Ndondelo, Kuando-Geremias, Calepi e Camucuio, município de Caluquembe, receberam, do Governo Provincial, tractores, alfaias e outros equipamentos agrícolas.

Agricultores têm recebido vários apoios do Governo para aumentarem a produção no âmbito do programa de combate à pobreza
Fotografia: Arão Martins | Lubango

Os cafeicultores de Caissaka, Calonhoha, Ndondelo, Kuando-Geremias, Calepi e Camucuio, município de Caluquembe, receberam, do Governo Provincial, tractores, alfaias e outros equipamentos agrícolas.
Os equipamentos, adquiridos no quadro do programa Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza, foram entregues pelo governador Isaac dos Anjos, que esteve em Caluquembe para verificar o grau de execução de vários empreendimentos sociais.
O responsável da secção municipal da Agricultura e Desenvolvimento Rural de Caluquembe referiu que a produção do café tem aumentado substancialmente, graças ao apoio do governo provincial.O governo provincial, afirmou, tem também distribuído charruas, enxadas europeias e tradicionais, limas, pás e fertilizantes, o que permite aos cafeicultores intensificarem a produção.
“A produção do café em Caluquembe tem subido gradualmente, mesmo com o aparecimento, nos últimos dias, da uma broca do caule, que afecta as plantas, mas os produtores têm aumentado a sua produção”, disse Joaquim Tchikulumula, que lembrou que, na campanha 2010/2011, foram colhidos, em 150 hectares, cinco mil quilos de café e que a actual é animadora, pois até Maio foram já colhidas 4.900 quilos.Nesta campanha, referiu, estão envolvidas mais de 39 mil famílias camponesas que, além do café, produziram milho, massango, massambala, batata, mandioca, hortícola, soja e abacaxi em quantidades elevadas.
A entrega dos equipamentos foi feita na fazenda do agricultor Henrique Hequele que, no ano passado, destinou quatro hectares da propriedade, em Caissaica, à plantação de cerca de quatro mil pés de café.
O cafeicultor declarou, ao Jornal de Angola, que com o tractor e a alfaia que lhe foi entregues vai poder plantar até ao final do próximo ano, pelo menos, 40 mil pés de café.
“Há muita vontade e empenho das famílias no cultivo do café e com os tractores temos hipótese de aumentar os níveis de produção e de ajudar as famílias a combater a pobreza”, disse o cafeicultor.

Tempo

Multimédia