Províncias

Caluquembe ganha canal de irrigação

Arão Martins | Caluquembe

O canal de irrigação da Vila Branca, na comuna de Negola, vai ser reabilitado, em breve, no quadro do programa de desenvolvimento do sector agrícola, com vista a potenciar a actividade dos camponeses locais, anunciou ontem o administrador municipal de Caluquembe.

Várias iniciativas marcam o aniversário do município de Caluquembe
Fotografia: Arão Martins | Caluquembe

José Arão Nataniel afirmou que o município de Caluquembe é rico em recursos hídricos, um factor fundamental para ter uma agricultura mais forte e que ajude no programa de combate à fome e à pobreza no seio das famílias.
O responsável administrativo salientou que a actividade económica está a registar avanços significativos, com a realidade da colocação da banca comercial, o que está a dinamizar também as trocas comerciais.
Disse que a circulação monetária é constante e elevada, o que demonstra a capacidade aquisitiva da população daquela parcela da província da Huíla.
Apesar dos avanços acima referidos, o responsável disse que as populações enfrentam ainda algumas dificuldades, principalmente relacionadas com a circulação rodoviária entre as vias que ligam a sede municipal às comunas, situação que vai ser revertida nos próximos tempos.
O administrador falava no termo da Expo-Caluquembe, realizada na comuna da Sandula, onde foram expostos diversos produtos do campo daquela região. O evento, inserido nas festividades dos 49 anos da ascensão de Caluquembe à categoria de município, foi promovido pela Administração Municipal, em parceria com a direcção da Associação Agro-pecuária, Industrial e Comercial (AAPCIL) da Huíla.
Os expositores, entre camponeses e agricultores oriundos das comunas de Calepi, Negola, sede Sandula e das localidades de Caissaka, Cue I e II, Vatucu, Cusse e São José, aproveitaram a oportunidade para trocar experiências e estabelecer parcerias.
O presidente da Associação Agropecuária, Comercial e Industrial da Huíla, António de Lemos, apelou às autoridades a apostarem cada vez mais na agricultura, com incentivos aos produtores, para o combate à fome e à pobreza. António de Lemos defendeu a necessidade do Executivo potenciar o sector com distribuição de sementes e instrumentos de trabalho às famílias camponesas.
Reconheceu que o município de Caluquembe, que é rico em recursos hídricos, tem uma terra igualmente fértil na produção de cereais e hortícolas.
Considerou que ao potenciar as famílias, os índices de produção podem superar cada vez mais os níveis de colheita, para ajudar a criar riqueza e melhorar a qualidade de vida das famílias.
Mas, António de Lemos reafirmou a importância de se controlar a produção, para que se planeie melhor a sua distribuição.

Tempo

Multimédia