Províncias

Caluquembe prepara formação de médicos

André Amaro | Lubango

O Hospital de Caluquembe, adstrito à Igreja Evangélica Sinodal de Angola (IESA), na província da Huíla, começa no próximo ano a formar médicos, com o arranque da Universidade Evangélica Sinodal de Angola (UESA).

Panorâmica do Hospital de Caluquembe que no próximo ano passa a contar com uma faculdade para reforçar a formação de médicos na região
Fotografia: André Amaro|Lubango

A instituição evangélica conta com o apoio do Governo Provincial da Huíla, que cedeu um terreno de 14 hectares na nova centralidade do Lubango, para a instalação do seu campus universitário.
O presidente da IESA, Dinis Eurico, garantiu que estão a ser criadas condições para o arranque da universidade no próximo ano, com a Faculdade de Medicina.
“A nossa Universidade já estabeleceu parcerias com instituições universitárias de Portugal, Brasil, Canadá, Estados Unidos e Austrália, para o arranque da instituição”, esclareceu. Esta parceria, acrescentou, vai possibilitar abrir as Faculdades de Medicina, integrada no hospital de Caluquembe, assim como as faculdades de Agronomia, Economia e Direito, numa primeira fase.
O projecto vai ser inaugurado em 2015 e pretende contribuir para a formação de jovens, uma vez que dezenas deles terminam o ensino médio sem possibilidades de ingressarem na universidade.
Desde o ano passado, a Igreja Evangélica Sinodal de Angola (IESA) tem em funcionamento a Escola Média de Saúde, acoplada ao hospital de Caluquembe, existente há mais de três décadas.
 
Escola hospital

O Hospital de Caluquembe está a facilitar o estágio de 286 alunos que frequentam o curso médio de enfermagem, na IESA.O director da Escola de Enfermagem de Caluquembe, Adriano Justo, esclareceu que, desde o ano passado, a mesma foi transformada em instituição do ensino médio, com os cursos de enfermagem geral e laboratório. Adriano Justo avançou que 286 alunos, provenientes das províncias do ­Namibe, Benguela, Cunene e Kuando-Kubango, estão a estagiar no hospital de Caluquembe.
Os primeiros técnicos médios vão integrar o mercado de trabalho em 2015 e ter a oportunidade de ingressar na Faculdade de Medicina da Universidade Evangélica Sinodal de Angola.

Tempo

Multimédia