Províncias

Camponeses de Chicomba exortados a produzir mais

André Amaro | Lubango

A reabilitação de estradas inter-provinciais e municipais está a facilitar o escoamento de produtos agrícolas do município de Chicomba, na província da Huíla, para as cidades de Benguela, Huambo e Bié, revelou o responsável da Agricultura.

A reabilitação de estradas inter-provinciais e municipais está a facilitar o escoamento de produtos agrícolas do município de Chicomba, na província da Huíla, para as cidades de Benguela, Huambo e Bié, revelou o responsável da Agricultura.
João Cachissapa referiu ao Jornal de Angola que “a melhoria das vias de acesso às zonas produtivas, por um lado, e das estradas de ligação às cidades e vilas do centro de Angola, por outro, permitiu o escoamento com mais facilidade de produtos, como o milho, massango, massambala, feijão, alho, cebola e limão”.
O responsável da Agricultura esclareceu que, com a circulação facilitada, cresce o número de comerciantes que chegam regularmente a Chicomba para adquirirem cereais e outros produtos. “Os produtos são transportados do campo para os centros de comercialização, de carroças, e, depois, para os municípios e províncias de carrinhas alugadas pelos comerciantes”, frisou.
Esta realidade, considerou João Cachissapa, incentiva os camponeses a optarem por técnicas cada vez mais modernas de produção, no sentido de aumentarem as colheitas e terem mais rendimentos que lhes permita melhorar as condições de vida das suas famílias.
Na presente campanha agrícola foram colhidas 25 mil toneladas de cereais, das 42 mil previstas, como resultado da irregularidade das chuvas. “Os camponeses tiveram de repartir a produção entre o consumo e a comercialização”.
Chicomba possui nove cooperativas agrícolas que trabalham numa área de 62 mil hectares, para produção de diversas culturas e criação de animais, referiu o responsável.
Os comerciantes de produtos agrícolas do município foram beneficiados pela reabilitação das vias de acesso. Cecília Catoma, comerciante há sete anos, explicou que compra mensalmente entre quatro a cinco toneladas de milho e feijão em Chicomba, que comercializa nas províncias do Huambo e Bié.
“Dependo totalmente deste negócio e hoje, graças à reabilitação das estradas, já consigo fazer dez horas até à cidade do Huambo, o que era impossível no passado”, realçou a referida comerciante.

Tempo

Multimédia