Províncias

Capital da Huíla tem mais energia

A central térmica instalada na comuna de Arimba, já fornece energia eléctrica aos bairros e centro da cidade do Lubango, na Huíla, assegurou o presidente do conselho de administração da ENE, José Carlos das Neves, durante a visita do ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.

Com a entrada em funcionamento da Central Térmica de Arimba ruas e casas do Lubango e de bairros periféricos ficam mais iluminadas
Fotografia: Arão Martins

A central térmica instalada na comuna de Arimba, já fornece energia eléctrica aos bairros e centro da cidade do Lubango, na Huíla, assegurou o presidente do conselho de administração da Empresa Nacional de Electricidade (ENE), José Carlos das Neves, durante a visita do ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.
 A central térmica de Arimba tem uma potência instalada de 40 mega watts e vai dispor de 28 geradores, cinco transformadores elevadores, seis transformadores dos serviços auxiliares, cinco circuitos trifásicos e igual número de circuitos bifásicos.Tem ainda um depósito de combustível com capacidade para 4.000 metros cúbicos, unidade de tratamento de água bruta, unidade de ar comprimido, sistema de controlo de incêndios, tanque de água e sala de formação.
 José Carlos das Neves disse que a central térmica tem uma capacidade real de 40 mega watts. A sua entrada em funcionamento deu emprego a 20 engenheiros. Foram criadas seis linhas e estão em funcionamento as que abastecem de energia eléctrica a subestação situada no Bairro Ferrovia, Arimba, Aeroporto da Mukanka e a Centralidade da Eywa.
 Com a entrada em funcionamento da central térmica de Arimba, o nível de abastecimento aumentou para 61 mega watts, tendo em conta os 21 mega watts oriundos da central hidroeléctrica da Matala, a 180 quilómetros da cidade do Lubango. “Esta central e com os trabalhos de reabilitação da rede de média e baixa tensão, hoje assistimos a uma melhoria significativa do fornecimento de energia eléctrica à cidade do Lubango”, afirmou.
Esta melhoria, disse José Carlos das Neves, vai ser ainda melhor a partir do mês de Abril e Maio próximo, quando a outra central térmica que está a ser construída no Bairro Ferrovia, com a capacidade de 40 mega watts, estiver concluída.
Os próximos passos são estender a rede de média e baixa tensão para que mais pessoas beneficiem de energia eléctrica.

Novos contadores


Na área comercial, o presidente do conselho de administração da ENE, anunciou que está em execução o programa de montagem de contadores pré-pagos para a cidade do Lubango.
O objectivo, esclareceu, é melhorar o nível de receitas e possibilitar que a empresa tenha capacidade financeira para ter um estado operacional melhor e atender as necessidades das populações.
“A formação de quadros é uma constante e permanente prioridade para melhorar a execução dos projectos no sector da energia eléctrica”, disse José Carlos das Neves. Pediu aos clientes para cumprirem com as suas obrigações, que é pagar com regularidade os seus consumos de electricidade.

Projectos Nacionais


O presidente do conselho de administração da ENE afirmou que a execução de vários projectos no domínio da produção, transporte e distribuição de energia eléctrica em várias localidades do país, permitiu melhorar significativamente o abastecimento de luz eléctrica.
“A capacidade da oferta hoje é significativa, porque mais pessoas estão a beneficiar de um produto que é importante para o desenvolvimento socioeconómico do país”, disse. Anunciou ainda que está em curso a reabilitação da barragem da Matala, no que diz respeito à consolidação da estrutura.
 “Estamos a fazer estudos para recuperar completamente a central da Matala. E outros projectos a nível da região já foram executados”, disse o presidente do conselho de administração da Empresa Nacional de Electricidade.  “Em Menongue temos uma central térmica com equipamentos modernos e já está a fornecer a cidade. No Luena também há uma central com as mesmas características com 7,5 mega watts. Está neste momento ainda em fase de montagem com perspectiva de ficar concluída também no mês de Maio. Tudo isto são ganhos importantes para as populações da referidas regiões”, disse José Carlos das Neves.

Tempo

Multimédia