Províncias

Casas económicas e novo mercado

Arão Martins| Lubango

A Administração Municipal do Lubango começou em Fevereiro a construção de casas económicas na comuna do Hoque, no quadro do programa de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.
Para verificar o andamento do programa, o governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, foi à comuna do Hoque, onde pôde também verificar as obras de construção do mercado no Quilómetro 40, junto à estrada que liga a província da Huíla às províncias do Kuando-Kubango, Huambo e Benguela.

A comuna vai contar ainda este ano com uma unidade sanitária de raiz que vem reforçar a rede sanitária marcada por alto défice
Fotografia: Arão Martins| Huíla

A Administração Municipal do Lubango começou em Fevereiro a construção de casas económicas na comuna do Hoque, no quadro do programa de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.
Para verificar o andamento do programa, o governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, foi à comuna do Hoque, onde pôde também verificar as obras de construção do mercado no Quilómetro 40, junto à estrada que liga a província da Huíla às províncias do Kuando-Kubango, Huambo e Benguela.
O novo mercado vai permitir acolher os vendedores da actual praça localizada na Estrada Nacional 280. Luísa Caputo, administradora comunal do Hoque, disse à nossa reportagem que, além de oferecer melhores condições, o novo mercado vai ter capacidade para mais de mil vendedores.
Na comuna do Hoque, o governador provincial da Huíla, Isaac Maria dos Anjos, visitou ainda as obras de construção de uma escola de seis salas, que vai atender a partir do próximo semestre, mais de 400 crianças que se encontram a estudar em salas provisórias.
O governador provincial foi verificar o estado da ponte sobre o rio Hoque, que devido ao mau estado em que se encontra tem estado a causar dificuldades na circulação de pessoas e bens, especialmente na época das chuvas.
Luísa Caputo afirmou que a localidade está a registar melhorias significativas, fruto do programa da construção de várias infra-estruturas sociais. A administradora comunal anunciou que no quadro do programa de fomento habitacional, está prevista a construção de 100 casas na comuna, tendo já sido reservados 35 hectares para o bairro.
Luísa Caputo revelou que, no quadro do programa de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, a comuna vai contar, ainda este ano, com mais uma unidade sanitária. Trata-se de um centro de saúde construído de raiz que vem reforçar a rede sanitária local, marcada por alto défice em termos de cobertura, já que a comuna dispõe de apenas cinco postos médicos para uma população de 97 mil habitantes.

Agricultura e pecuária

Com uma área cultivável de aproximadamente 40 mil hectares, a comuna do Hoque é potencialmente rica no ramo agro-pecuário. Estima-se que existam na região mais de 30 mil cabeças de gado bovino, distribuídas por três mil criadores que garantem a preparação e o cultivo das terras. A nível do município do Lubango a comuna sé a maior produtora de cereais, cultivando em grandes quantidades milho, feijão, massango e massambala e está a apostar na produção de hortícolas.
A administradora comunal salientou que na comuna existem 54 fazendeiros. Os camponeses e agricultores foram agrupados em 13 associações e dez cooperativas, totalizando 19.943 famílias camponesas que asseguram toda a produção alimentar.
Luísa Caputo informou que para a campanha agrícola 2011­/2012 está planificada a utilização de uma área de 27.408 hectares. A administradora disse que do total da área planificada, foram lavradas e semeadas na primeira época apenas 5.353 hectares por causa da prolongada estiagem que assolou a maioria dos municípios da província da Huíla.

Segunda fase da campanha

Para a segunda fase da campanha agrícola 2011/2012, está prevista uma área de 9.779 hectares já semeados. “A irregularidade da chuva condiciona os resultados das culturas na presente campanha agrícola, o que preocupa as autoridades locais, estando já em curso trabalhos de sensibilização junto dos camponeses no sentido de se fazer um aproveitamento das baixas para diversificar as culturas resistentes à seca, como a massambala, massango, mandioca, batata e preservar as reservas alimentares já existentes”, referiu. A administradora Luísa Caputo informou que durante a campanha agrícola 2011/­2012, os camponeses agrupados em associações e cooperativas, beneficiaram de crédito cedido pelo Banco de Poupança e Credito (BPC).
A responsável da comuna disse que 176 camponeses beneficiaram de créditos no valor global de 19,658 milhões de kwanzas, valor que já começou a ser reembolsado pelo camponeses. “Tendo em conta a estiagem registada na primeira época, os camponeses que tiveram crédito procuram cumprir com o reembolso no tempo previsto, embora esperem sensibilidade por parte do banco para o cumprimento de prazos”, garantiu.

Registo eleitoral

O processo de actualização do registo eleitoral na comuna do Hoque decorre sem sobressaltos, garantiu a administradora Luísa Caputo. Informou que foram destacadas várias brigadas de registo para atender a região e têm-se desdobrado por vários pontos da comuna com o objectivo de garantir que nenhum munícipe fique à margem do processo eleitoral.
Quando ao Registo Civil, a administradora do Hoque reconheceu que apesar de algumas dificuldades decorrentes da falta de pessoal, o sector tem conhecido “resultados satisfatórios”. O trabalho é assegurado apenas por um funcionário do registo e outro da administração local.Luísa Caputo precisou que até à primeira quinzena de Março, foram já registados 3.796 processos, sendo 337 de menores até aos 5 anos e 3.459 a maiores de 12 anos. O processo, reconheceu, está a facilitar a inserção de crianças no sistema de ensino.

Tempo

Multimédia