Províncias

Casas evolutivas no Lubango

Arão Martins | Lubango

Pessoas residentes em áreas que dificultam o acesso aos bairros periféricos e avenidas da cidade do Lubango vão, dentro de seis meses, beneficiar de moradias na nova centralidade da Eywa, onde são construídas 200 casas evolutivas.

FOMENTO HABITACIONAL na huíla

Estão criadas as condições para o realojamento de pessoas que vivem em áreas sensíveis
Fotografia: Jornal de Angola

Pessoas residentes em áreas que dificultam o acesso aos bairros periféricos e avenidas da cidade do Lubango vão, dentro de seis meses, beneficiar de moradias na nova centralidade da Eywa, onde são construídas 200 casas evolutivas.
O director provincial do ordenamento do território, urbanismo e habitação, António Abílio, disse que a área do projecto compreende 39,761 hectares, dos quais 20 destinam-se à construção de 200 casas evolutivas, a serem erguidas em lotes de mil metros quadrados cada.
Dos espaços disponibilizados, oito lotes estão reservados para zonas verdes e 1,5 para a construção de duas escolas, sendo uma primária e outra do I ciclo do ensino. Noutras áreas são materializados mais projectos. O director provincial das Obras Públicas na Huíla, Rosário Ima Panzo, disse que as autoridades criaram condições para o realojamento das pessoas a serem retiradas das áreas consideradas sensíveis.
O responsável indicou que foi feita já a consignação da estrada que liga o bairro Lucrécia à escola 27 de Março na Laje e que outras vias são intervencionadas à medida que forem disponibilizados os recursos financeiros para as condições de acomodação das pessoas afectadas.
O encarregado de obras, Cheing Jiong, garantiu que estão criadas as condições técnicas, materiais e humanas para a conclusão das habitações dentro dos prazos estabelecidos. Nos próximos sete anos, são erguidas moradias de tipologia T1 a T4, fábricas e outras infra-estruturas sociais.

Tempo

Multimédia