Províncias

Centenas de famílias realojadas

Domingos Mucuta | Quilemba

As famílias autóctones que residiam no espaço destinado à construção de fogos habitacionais, na Centralidade da Quilemba, na Huíla, vão ser integradas em residências erguidas nos arredores da nova cidade, anunciou, no Lubango, o director provincial do Urbanismo.

Governador João Marcelino Tyipinge (ao centro) visitou as obras de impacto social em curso na nova centralidae de Quilemba
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

António Abílio, que falava no fim de uma visita de constatação do governador da Huíla, João Marcelino Tyipinge, às obras da nova centralidade, disse que, neste momento, estão concluídas mais de 150 casas, das 413 previstas para as famílias que vão ser realojadas.
O director provincial do Urbanismo disse que o objectivo é garantir a integração das famílias, para usufruírem de melhores condições de habitabilidade em zonas urbanizadas, onde podem ter acesso a serviços sociais básicos, como água, saneamento e electricidade, educação e saúde.
“Identificámos, desde o início das obras, e realizámos o cadastramento de 413 famílias. O Governo da Huíla concluiu, no quadro do programa de integração social, 150 casas para as primeiras famílias do perímetro da centralidade, enquanto outras estão em construção para contemplar mais agregados familiares”, disse.
António Abílio acrescentou que, neste momento, mais de 7.512 apartamentos, num total de oito mil previstos na Centralidade da Quilemba, estão prontos para habitação, numa altura em que a empreiteira chinesa realiza trabalhos de conclusão de infra-estruturas sociais, sistema de drenagem, sinalização de ruas e outros.
O director provincial do Urbanismo garantiu que os fogos habitacionais já foram visitados pela empresa fiscalizadora. De acordo com António Abílio, a principal preocupação tem a ver com a falta de energia eléctrica e de uma rede de distribuição de água potável, cuja situação está a ser tratada pelos órgãos provinciais e centrais, pois o processo de comercialização depende da instalação destes serviços. A nova Centralidade da Quilemba é atravessada pela estrada circular do Lubango, cujas obras, orçadas em 450 milhões de kwanzas e iniciadas no ano passado, estão paralisadas por razões financeiras. Referiu que a nova auto-estrada vai ter duas faixas de rodagem, nos dois sentidos. A primeira fase contempla a construção de 24 quilómetros de estrada.
Segundo o director provincial do Urbanismo, a maioria dos 200 fogos habitacionais previstos para o município do Lubango está concluída e distribuída. As referidas residências foram erguidas na localidade da Eywa, onde a rede eléctrica já está instalada. Durante o programa de campo, o governador da Huíla inaugurou o Largo das Escolas, construído entre o Instituto Médio de Economia do Lubango e a rua 1º de Dezembro.
A inauguração abrange o troço OMA - IMELub, que beneficiou de uma intervenção no sistema de escoamento de águas pluviais e residuais e a instalação de sistemas de electricidade e telecomunicações.
O trecho é um dos últimos a ser inaugurado no quadro do programa de reabilitação de vias secundárias, que juntas totalizam 30 quilómetros.

Tempo

Multimédia