Províncias

Centenas de fogos em construção

Estanislau Costa | Lubango

A primeira pedra para a construção de cinco edifícios com 243 apartamentos, enquadradas no Programa Nacional de Urbanismo e Habitação, foi lançada ontem pelo governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, na centralidade da Eywa, arredores da cidade do Lubango.

A primeira pedra para a construção de cinco edifícios com 243 apartamentos, enquadradas no Programa Nacional de Urbanismo e Habitação, foi lançada ontem pelo governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, na centralidade da Eywa, arredores da cidade do Lubango.
O projecto, pertencente à empresa nacional Urbilar-Empreendimentos Imobiliários, criada há quatro anos com o propósito de desenvolver programas de urbanização para habitação, comércio, construção e comercialização de empreendimentos, está dividido em sete fases, prevendo-se a conclusão da primeira em Outubro de 2013. O presidente do Conselho de Administração da Urbilar, Mário de Sá, disse que o projecto ocupa uma área de 50 hectares e começou a ser estruturado há quatro anos, através da iniciativa do Centro de Estudos Estratégicos de Angola, que visa baixar os custos de construção das casas para a juventude e não só.
“Vamos utilizar uma tecnologia que nos permite ganhar tempo, controlar custos e sem a necessidade de envolver muita gente. Pensamos estender o projecto a outros pontos do país, para ajudar a suprir a necessidade de casas”, disse.
Acrescentou que foi determinante a pareceria das Forças Armadas Angolanas e do COPE da Polícia Nacional para a construção dos primeiros fogos habitacionais na localidade da Eywa, na cidade do Lubango, destinadas aos efectivos das FAA e da polícia.
Mário de Sá enalteceu também a contribuição do Banco Fomento Angola para o início das obras e o financiamento da aquisição de casas a qualquer interessado. Afirmou que as obras do Lubango são executadas com a tecnologia de construção da empresa espanhola Proiser, que torna mais baixos os custos e mais rápidos os trabalhos.
O Jornal de Angola apurou que a Urbilar vai, na primeira fase, investir mais de 10 milhões de dólares na empreitada e as casas do tipo T2, T3 e T4 vão custar entre 70 a 120 mil dólares.
O governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, satisfeito com o arranque do projecto habitacional, disse que “se pretende, na região da Eywa, trazer conceitos de vivências diferentes e com custos de terrenos significativamente mais baixos, assim como oferecer maior espaço e conforto para as famílias”. Para a zona em referência, disse, estão projectados diversas infra-estruturas, como um campo de golfe nas proximidades da lagoa da Ivanda, Tribunal Militar e de Contas, Procuradoria Provincial da República e outras instituições do Direito e um Campo Universitário para 20 mil alunos.
Isaac dos Anjos avançou que está também em curso na centralidade da Eywa a construção do hospital pediátrico e de maternidade e vai em breve ter início a edificação de uma escola pública. “Já está em funcionamento uma fábrica de casas pre-fabricadas e está em construção outra”. O governador garantiu que há mais espaços para a materialização dos projectos de investidores. “As pessoas interessadas na construção dirigida estão a receber parcelas de terra de mil metros quadrados, espaço que permite, além de erguer uma casa, tornar exequíveis outras acções”.
Assistiram ao lançamento da empreitada o ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Patria, Kundi Paihama, o chefe de Estado-Maior General das FAA, Geraldo Sachipengo Nunda, o comandante-geral da Polícia Nacional, Ambrósio de Lemos, e outros convidados.

Tempo

Multimédia