Províncias

Centenas de jovens formados na Huíla

Mais de cinco mil jovens foram formados nos últimos cinco anos na província da Huíla em artes e ofícios, pelo Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP), disse ontem, no Lubango, o chefe dos serviços provinciais da instituição.

Cresce o número de jovens nos cursos profissionais
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Lourenço dos Santos prestou esta informação quando resumia a actividade formativa no período em referência, considerado positivo, a julgar pela frequência massiva de jovens nos pavilhões e centros fixos criados para o efeito.
Os jovens receberam formação nas especialidades de construção civil, carpintaria, electricidade auto e de baixa tensão, serralharia, canalização, torno, informática, corte e costura, cozinha e pastelaria, estando dois mil já inseridos no mercado de trabalho.
O INEFOP desenvolve a sua acção também nos municípios de Chicomba, Cuvango e Matala, onde estão instalados os equipamentos para o efeito, cuja formação é assegurada por 42 técnicos.
Lourenço dos Santos revelou que neste ano foram matriculados 1.172 formandos em várias especialidades e 80 por cento frequenta aulas e os restantes desistiram por razões desconhecidas.
“Temos tido parcerias com alguns organismos públicos e privados que nos fornecem alguns kits de trabalho, como o Ministério da Assistência e Reinserção Social, e o Instituto de Reintegração de Ex-Militares, que ajudam a potenciar os recém-formados com algum equipamento”, disse.
Além disso, existe um programa de micro-crédito que beneficiou mais de 80 jovens. Este grupo está a implementar projectos, inseridos no mercado de trabalho, apesar de alguns estarem à espera de financiamentos.
Lourenço dos Santos considerou, deste modo, que os resultados alcançados até agora são satisfatórios, numa altura em que as instituições têm sabido satisfazer as necessidades dos jovens que pretendem formação  técnica e profissional.

Tempo

Multimédia