Províncias

Central eléctrica é instalada na cidade

Arão Martins e Domingos Mucuta| Lubango

O director provincial da Energia e Água na Huíla, Abel João da Costa, anunciou a construção em 2017 de uma zona central eléctrica com capacidade de 129 mega Watts, que vai beneficiar a centralidade da Quilemba e arredores da cidade do Lubango.

Investimentos feitos no sector da Energia ne Água na província estão a permitir a oferta e melhoria dos serviços pestados aos consumidores
Fotografia: Arão Martins| Lubango

Abel João da Costa disse que os investimentos no sector estão a permitir a oferta e a melhoria dos serviços de energia e sublinhou que no quadro das acções está ainda prevista a instalação de duas novas sub-estações de transporte de 400 KVA e 220 KVA.
A instalação de quatro novas sub-estações de distribuição com potências que variam entre 15 a 60 KVA e a colocação de novos postos de transformação são outras acções em vista para a cidade do Lubango e arredores até 2017.
Está também prevista a construção e a reabilitação do sistema de energia nas sedes municipais e comunais e novas centralidades.
Fazendo uma retrospectiva dos investimentos no sector de energia entre 2013 e 2015, Abel João da Costa disse terem sido concretizados vários projectos de âmbito local, na área da produção e distribuição de energia e de iluminação pública.
A título de exemplo, apontou a implantação de uma micro-turbina no município de Chicomba, a instalação de cinco postos de transformação de 630 KVA e de quatro outros postos de transformação.
Foi ainda instalada uma linha de baixa tensão e está em curso a montagem de uma linha de  média tensão. O director provincial de Energia e Águas na Huíla informou que foram concluídos os trabalhos de instalação de redes e candeeiros.

População satisfeita


A  nova fase do projecto em curso na província vai abranger também as áreas que registam maior escassez de água tratada. Os beneficiários dos bairros periféricos da Lalula, Nambambe, João de Almeida, Joaquim Kapango e Mapunda manifestaram satisfação pelo facto de o Governo ter instalado perto das suas residências um sistema de distribuição de água.
Com a instalação do sistema de distribuição, a população dos bairros periféricos do Lubango vai deixar de percorrer longa distância para acarretar água nos rios  e cacimbas, sem o mínimo de qualidade para consumo humano. “É um motivo de satisfação porque agora passamos a consumir água potável, ao contrário do passado que corríamos o risco de contrair várias doenças.
Vamos procurar conservar este bem público que o Governo Provincial colocou à nossa disposição”, disseram.

Tempo

Multimédia