Províncias

Central térmica da Matala dobra fornecimento de luz

Domingos Mucuta | Lubango

O fornecimento de energia eléctrica à cidade do Lubango vai contar com a instalação, este ano, de uma nova central térmica com capacidade para produzir mais 30 megawatts, anunciou ontem o director provincial da Energia e Água da Huíla.

Reabilitação da barragem da Matala cria condições para aumentar a produção de energia
Fotografia: Domingos Mucuta | Lubango

O fornecimento de energia eléctrica à cidade do Lubango vai contar com a instalação, este ano, de uma nova central térmica com capacidade para produzir mais 30 megawatts, anunciou ontem o director provincial da Energia e Água da Huíla.
Abel da Costa disse que o projecto de montagem da central eléctrica é uma iniciativa do Ministério da Energia e Água destinada a servir de alternativa, tendo em conta a limitação da produção da barragem hidroeléctrica da Matala, que entra brevemente em obras.
A instalação da central térmica vai suprir a carência de energia eléctrica que o Lubango regista nos últimos tempos, com o fornecimento parcial aos bairros periféricos da cidade.
O projecto de reabilitação da barragem inclui intervenções para substituição de algumas comportas construídas no tempo colonial, com o objectivo de criar condições infraestruturais que rentabilizem o processo de acumulação de água.
“A reabilitação da barragem da Matala vai  criar condições para a produção de energia a partir desta hidroeléctrica. O Executivo e o governo provincial também estão a trabalhar na procura de alternativas e na instalação de linhas de transporte e distribuição, para que a energia chegue aos domicílios com a potência exigida”, afirmou.
Os condutores de energia existentes na província são muito antigos, exigindo a sua substituição, no sentido de os adequar às melhorias da produção. O director provincial lembrou que a sua direcção vai brevemente indemnizar os consumidores, caso se verifiquem danos nos electrodomésticos por oscilação de corrente eléctrica.
Os municípios também desenvolvem acções de instalação de fontes alternativas de produção de 150 KVA e de alargamento das redes de distribuição no âmbito das acções de intervenção municipal com o objectivo de garantir a luz aos habitantes.
Abel da Costa disse que a sua direcção vai continuar a instalar as redes de baixa e média tensão, num projecto que inclui a colocação de três mil postos de iluminação pública e 70 de transformação de energia nas zona urbanas e na periferia do Lubango.
O responsável esclareceu que o Ministério de Energia e Águas tem uma estratégia de montagem de painéis solares para fornecer luz às comunidades mais recônditas, além da recuperação e construção de mini-hídricas.
O Lubango conta com um grupo de 40 geradores que produz perto de 30 magawatts, uma quantidade insuficiente para abastecer a cidade e arredores, o que obriga as autoridades a restringirem o fornecimento aos 13 bairros.

Tempo

Multimédia