Províncias

Central térmica na comuna da Arimba entra em funcionamento no próximo ano

Arão Martins | Lubango

A nova central térmica construída na comuna da Arimba, para abastecer de energia eléctrica o Lubango, província da Huíla, entra em funcionamento no primeiro trimestre de 2013.

A nova central térmica construída na comuna da Arimba, para abastecer de energia eléctrica o Lubango, província da Huíla, entra em funcionamento no primeiro trimestre de 2013.
A central térmica foi instalada numa área de 39 mil metros quadrados, dispõe de 28 grupos geradores e tem capacidade para fornecer 40 mega watts. Os ensaios começaram no princípio deste mês e tudo indica que está operacional para o seu arranque.
Com uma potência transformadora elevada e seis transformadores dos serviços auxiliares, dispõe ainda de cinco circuitos trifásicos, igual número de circuitos bifásicos reservados e de uma unidade eléctrica de 35.613 metros quadrados. A central tem ainda de depósito de combustível com capacidade para quatro mil metros cúbicos, unidade de tratamento de água bruta, unidade de ar comprimido, sistema de controlo de incêndios, tanque de água e sala de formação.O administrador da empresa construtora da central, Chey Yany, referiu que a instalação da mesma começou em Março e é um projecto do Executivo.
Para fornecer energia eléctrica ao Lubango foram instaladas três linhas, das quais uma que liga à subestação antiga, no bairro do Ferrovia, e outra em direcção ao aeroporto internacional da Mukanka.
O administrador da empresa de engenharia, Sinohidro Corporation, assegurou que os técnicos estão agora a trabalhar na instalação da linha que vai até à centralidade da Eywa, nos arredores do Lubango. />“Três linhas para fornecer energia eléctrica a várias localidades já estão feitas.
Falta apenas a da Eywa. Foram feitas linhas de seis quilómetros que ligam a central da Arimba à antiga subestação”, explicou. Para o sucesso da empreitada, foram recrutados 80 trabalhadores angolanos, entre electricistas, pedreiros, engenheiros electrónicos, engenheiros de construção civil e outras especialidades. Para verificar o andamento da obra, uma delegação do Comité Provincial do MPLA na Huíla visitou ontem a central. O deputado pelo círculo provincial, Desidério da Graça, que liderou a comitiva, salientou que Angola está a preparar-se para entrar numa competição regional, o que não é possível sem energia eléctrica. “O país vai evoluir para uma industrialização de facto para ter uma economia robusta”, referiu.
Para melhorar a capacidade de funcionamento, o Executivo enviou quadros locais à Coreia do Sul, onde estão a ser formados no manuseio dos equipamentos instalados.
A par da instalação da nova central da Arimba, o Executivo está igualmente a pôr uma outra na antiga subestação localizada no bairro Ferrovia.
No quadro do programa de extensão da rede de distribuição de energia eléctrica a cidade do Lubango, capital da Huíla, o projecto contempla a colocação de 73 postos de transformação para toda cidade e bairros periféricos e a colocação de contadores.

Tempo

Multimédia