Províncias

Centro de formação acolhe jovens carenciados

Arão Martins | Lubango

Jovens oriundos das províncias de Luanda, Benguela, Huíla e Namibe estão, desde Março último, a ser formados no centro de formação profissional integrado “Rodolph & Anny”, no município de Quilengues.

O projecto é promovido pela Igreja Evangélica e estão a ser ministrados os cursos de carpintaria, mecânica, construção civil e agronomia
Fotografia: Jornal de Angola

Jovens oriundos das províncias de Luanda, Benguela, Huíla e Namibe estão, desde Março último, a ser formados no centro de formação profissional integrado “Rodolph & Anny”, no município de Quilengues.
As áreas de formação são agronomia, mecânica, carpintaria e construção civil.
O projecto é promovido pela Igreja Evangélica Sinodal de Angola, em parceria com o Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP) e o Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS).
O governador provincial da Huíla, Issac dos Anjos, esteve recentemente no município de Quilengues, para constatar o estado actual da região, tendo passado pelo centro de formação para encorajar os formadores a prosseguirem com a tarefa de ensinar e incentivado os jovens a absorverem o máximo de conhecimentos.
O soba da localidade de Camukua, município de Quilengues, Manuel Maholi, disse que a formação de jovens em várias áreas vai facilitar a inserção dos beneficiados no mercado de trabalho.
“Eles estão a ser preparados para servir o município e o país”. />Manuel Maholi sublinhou que a realização de cursos em Quilengues tem grandes vantagens, porque faz com que os beneficiários não se desloquem a outros sítios e quando terminarem “vão mesmo trabalhar aqui”. Para facilitar a formação dos jovens, estão disponíveis no município três hectares de terra para aulas práticas de agronomia, serralharia, sala de informática, biblioteca e um internato para albergar os formandos e casa para formadores.
 O director do Centro de Formação Profissional Integral de Quilengues, Hervé Goarant, disse que os cursos são desenvolvidos em dez meses e contempla aulas teóricas e práticas.
 “O objectivo é dotar os jovens oriundos de várias localidades de ferramentas capazes de facilitar a sua integração no mercado de emprego”, disse.
Explicou que o centro está aberto para todos os jovens com idades que variam entre 18 a 30 anos, com habilitações literárias mínimas a 7ª classe. Adiantou que, para facilitar a inserção dos jovens no mercado de emprego, a instituição conta com o auxílio de vários parceiros económicos e institucionais.

Tempo

Multimédia