Províncias

Chibia cria condições para conservar perecíveis

Arão Martins | Lubango

No município da Chibia, província da Huíla, está a ser instalado, desde o princípio do corrente ano, um entreposto frigorífico, com o objectivo de assegurar a presença de produtos perecíveis no mercado, por períodos mais prolongados.

Programa contempla ainda a funcionalidade de carrinhas frigoríficas que permitem recolher a produção dos agricultores de forma segura
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

O director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Pescas e Ambiente, Lutero Campos, disse ontem que o primeiro entreposto frigorífico da região vai permitir reduzir as perdas pós-colheita da produção agrícola.
“Na província da Huíla, o entreposto frigorífico está a ser instalado no município da Chibia, junto ao Perímetro Irrigado das Gangelas, de forma a contribuir para a redução das perdas pós-colheita e assegurar a presença de produtos perecíveis no mercado, por períodos mais prolongados”, explicou.
O programa contempla ainda a funcionalidade de carrinhas frigoríficas, que permitem recolher a produção dos agricultores e camponeses, de forma segura. O banco financiador já deu parecer positivo para a continuidade do projecto, assim como a seguradora oficial de crédito da Espanha, a empresa executora.
O projecto de instalação do entreposto frigorífico é uma iniciativa do Executivo e visa promover a redução de perdas pós-colheita, através da promoção da comercialização no meio rural e da construção de infra-estruturas de armazenamento, conservação e processamento da produção agro-pecuária.
A província da Huíla é por excelência uma região agro-pecuária. A produção agrícola é feita em grande escala e muitas vezes os camponeses e agricultores reclamam os constrangimentos da conservação da produção. “Com os avanços, os produtores vão ver melhoradas a capacidade de conservação e opção de venda”, reconheceu.
As unidades vão estar preparadas para efectuar a recepção, limpeza, desinfecção, tratamento, embalagem e conservação de frutas e hortícolas, para posterior comercialização nos mercados locais. Nas províncias da Huíla, Namibe e Cunene, onde se concentra a maioria do efectivo pecuário do país, estas unidades estão concebidas para, além da conservação de produtos hortofrutícolas, disporem de uma área de congelação de carne.
Aumentar a produção alimentar, com base no aumento das áreas cultivadas e do relançamento das capacidades produtivas, através da reabilitação e construção de infra-estruturas de irrigação, consta entre os objectivos do projecto.
O projecto é um contributo valioso no programa de combate à pobreza nas áreas rurais e peri-urbanas, porque permite ainda a instalação de infra-estruturas de armazenamento, conservação e processamento de grãos, hortícolas e frutas, assim como dotar os perímetros irrigados de máquinas pesadas e equipamentos para a abertura de novas áreas e operações mecanizadas de terras.
O projecto prevê igualmente a montagem de residências em estruturas pré-fabricadas, para apoio às actividades produtivas nos perímetros irrigados da Humpata.
No quadro do Plano de Apoio às Comunidades Rurais, foram, a nível da Huíla, construídos silos em sete localidades para armazenamento de cereais, sendo quatro com capacidade de armazenar quatro mil toneladas de milho, cada, nos municípios da Matala e Caconda.
A instalação de silos tem como objectivo específico o armazenamento de grãos, tendo em vista a estruturação de uma rede de comercialização, constituindo pontos de redistribuição para unidades de comercialização e processamento.
A montagem dos silos em Caconda, Caluquembe, Cuvango e Matala foi também concluída. Está em curso a aquisição das instalações auxiliares (báscula, oficinas, tanques de combustível, instalações administrativas e casa para o guarda).

Mais infra-estruturas

A construção de duas habitações pré-fabricadas, a aquisição de máquinas pesadas e tractores para preparação de terras, urbanização, silos de armazenamento de cereais com secador de milho e três silos de armazenagem com uma capacidade de 4.000 toneladas cada são outras acções gizadas para o sector.
Os projectos contemplam ainda a criação de escritórios, laboratório de qualidade, residência para os técnicos da área agro-industrial, uma nave semicircular para estacionamento de máquinas e equipamentos, equipamentos complementares aos silos (receptora de cereais, uma báscula de pesagem para camiões), que complementam as acções da implantação dos silos na Huíla.

Tempo

Multimédia