Províncias

Chipindo está a progredir

Arão Martins | Lubango

Vários empreendimentos socio­económicos vão estar brevemente à disposição dos munícipes de Chipindo, província da Huíla, no âmbito do Programa de Combate à Pobreza, anunciou na terça-feira o seu administrador adjunto.

Trabalho de melhoramento das ruas
Fotografia: Jornal de Angola

Francisco Ventura esclareceu que, para este ano, está em curso a construção de um mercado municipal na sede do município do Chipindo, uma escola de seis salas, na aldeia de Mboloteque, e uma residência para professores, na comuna do Bambim.
Nas localidades de Capembe e Ndovala aumentou significativamente o número de alunos, com a entrada em funcionamento de mais duas escolas do ensino primário, de seis salas cada. Além disso, a distribuição da merenda escolar, na comuna sede, em Bambim e no sector do Bunjei está a abranger centenas de alunos.
Francisco Ventura realçou que nos últimos dois anos o sector da Educação registou melhorias consideráveis e foram construídas 40 novas salas.
Apesar dos grandes avanços, as autoridades municipais lamentam a falta de agências bancárias, para facilitar as transacções, o que está a criar dificuldades aos funcionários públicos e empresários locais.
Em função disso, o administrador adjunto considerou imperiosa a concretização de estudos de viabilidade, já feitos por representantes do Banco de Poupança e Crédito (BPC), Banco de Fomento Angola (BFA) e Banco Internacional de Crédito (BIC), para a instalação de agências na circunscrição.
“Por falta de uma agência bancária, os funcionários públicos são obrigados a deslocar-se ao município da Caála, na província do Huambo, uma viagem de 130 quilómetros, ou ao Lubango”, alertou.

Tempo

Multimédia