Províncias

Chuvas salvam colheitas no município da Caconda

André Amaro | Lubango

A maioria das culturas de milho, feijão, mandioca, batata-doce afectada pela estiagem de 90 dias, que se registou na Caconda, estão a ser salvas pela chuvas que voltaram a cair, disse, ao Jornal de Angola, o administrador municipal.

Produção deixa satisfeito camponeses
Fotografia: Arimateia Baptista

A maioria das culturas de milho, feijão, mandioca, batata-doce afectada pela estiagem de 90 dias, que se registou na Caconda, estão a ser salvas pela chuvas que voltaram a cair, disse, ao Jornal de Angola, o administrador municipal.
Adão César afirmou que, apesar da estiagem afectar uma parte mínima das culturas de milho, sobretudo oeste em direcção ao município de Caluquembe, os camponeses estão empenhados na sementeira da segunda época.
Os camponeses, referiu, estão a aproveitar as chuvas para cultivar feijão, mandioca, amendoim, batata-doce, batata rena, massango e massambala.
Se as chuvas caírem com regularidade, pelo menos, mais 40 dias, frisou, é possível obter resultados positivos na presente campanha.
O administrador declarou que os técnicos do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) estão a prestar assistência técnica aos camponeses para tirarem o maior rendimento das chuvas e que a pecuária não foi afectada pela estiagem porque havia alguma água para o gado.
O soba grande do município de Caconda disse que as autoridades tradicionais estão a sensibilizar os camponeses sobre a importância de aproveitarem a chuva. “Os agricultos estão exactamente empenhado no cultivo de vários produtos”.
João Tchivela recordou que Caconda foi dos maiores produtores de milho e feijão da região sul do país, que eram exportados para outras zonas do país, principalmente para o Huambo, Bié e Benguela.

Tempo

Multimédia