Províncias

Combate ao paludismo com nova dinâmica

Arão Martins| Lubango

As autoridades sanitárias da região centro e sul do país estão a estudar mecanismos que imprimam uma nova dinâmica à luta contra a malária na província da Huíla, através da aplicação de estratégias de cobertura universal, até ao próximo ano.

Técnicos de saúde recebem novas orientações para travar a propagação do paludismo
Fotografia: André Amaro| Huíla

Com base nesta estratégia, o Programa Nacional de Controlo da Malária (PNCM) apostou na distribuição de mosquiteiros em massa às populações da região sul do país.
Com vista a aperfeiçoar, cada vez mais, esta estratégia, o programa realiza, desde quinta-feira, no Lubango, um encontro regional de coordenação em microplanificação, com supervisores das províncias do centro e sul.
Promovido pelo Ministério da Saúde, através da direcção do Programa de Controlo da Malária, no evento que hoje termina participam 28 supervisores e oficiais provinciais da doença, das áreas de medicamentos essenciais, promoção de saúde e das finanças, das províncias da Huíla, Namibe, Cunene e Benguela.
O oficial para a logística do controlo do Programa Nacional de Combate à Malária do Ministério da Saúde, Mikhail Tionune, disse que a instituição está a preparar uma campanha de distribuição de mosquiteiros em massa, no âmbito da estratégia de cobertura universal, para os anos 2013-2014. O programa, através do grupo permanente de preparação da campanha, assume a responsabilidade da formação dos formadores, a nível nacional e provincial, em matérias relacionadas com a gestão da actividade, aspectos e procedimentos logísticos, normas, formulários, fichas e folhas de registo para serem utilizadas durante a distribuição. O director provincial da Saúde na Huíla, Altino Matias, considerou que o seminário é oportuno, uma vez que vai ajudar a programar o combate à doença, que afecta em grande escala mulheres grávidas e crianças menores de cinco anos.
A realização do encontro na província da Huíla é ainda oportuna porque, salientou o responsável, serve para estudar mecanismos que ajudem igualmente as famílias de municípios da Huíla e do Cunene, assoladas pela seca, a prevenir doenças oportunistas.

Tempo

Multimédia