Províncias

Comboio facilita as trocas comerciais na região

Arão Martins | Lubango

Pelo menos sete mil passageiros e cinco mil toneladas de mercadoria diversa foram transportados desde Janeiro, da cidade do Lubango para Menongue, pelos comboios do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM).

A circulação no sentido Lubango/Menongue continua a ser feita com normalidade com quatro comboios de passageiros por semana
Fotografia: Arimateia Baptista | Chibia

Segundo o presidente do Conselho de Administração da empresa, Daniel Kipaxe, o CFM realiza quatro viagens semanais entre as duas províncias, mas a ligação para o Namibe está temporariamente interrompida, devido às obras de construção de 43 passagens de nível, a pedido das administrações municipais e comunais. 
“A circulação no sentido Lubango/ Menongue está a ser feita com normalidade, com quatro comboios de passageiros por semana, transportando 250 a 300 passageiros por dia”, disse.
As obras terminam no final deste mês e o comboio volta a circular regularmente a partir de 3 de Abril. O objectivo das passagens, explicou Daniel Kipaxe, é a criação de áreas para que as pessoas e animais atravessem em segurança aceitável e em locais adequados.
O CBM tem para a circulação sete locomotivas e 60 carruagens, além de vagões de transporte de carga e cisternas de combustível. Daniel Kipaxe assegurou que tem aumentado significativamente o número de solicitações de empresários e pessoas singulares para o transporte de mercadorias diversas entre a província do Namibe e Kuando-Kubango, passando pela Huíla. Essa procura vai ser colmatada com a retomada da circulação no troço ferroviário entre as cidades do Lubango e Namibe.
Com a circulação regular do comboio do CFM entre o Namibe e Menongue, a empresa perspectiva transportar anualmente um milhão e meio de passageiros.
Daniel Kipaxi referiu, também, que foram tomadas uma série de medidas para não pôr em risco a segurança da circulação dos comboios. “Hoje, o nível de segurança na circulação do comboio do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes aumentou com a formação das equipas criadas para o efeito, da colaboração da Polícia Nacional e de efectivos das Forças Armadas Angolanas”, referiu.
Actualmente, decorre a instalação de fibra óptica e para a circulação segura dos comboios está a ser usado o sistema VHF, numa primeira fase, e os telemóveis. “Estamos a instalar sistemas de comunicação nas estações e comboios que permitam uma circulação aceitável”, realçou.
Daniel Kipaxe referiu que o CFM terciarizou vários dos seus serviços e que as empresas que venceram os concursos começam a funcionar a partir de Maio.

Casos de vandalismo

Pediu, ainda, a colaboração da população e autoridades tradicionais na fiscalização de todas as infra-estruturas que garantem a circulação do comboio em perfeitas condições, devido à ocorrência de casos de vandalismo, como aconteceu com três estações nos últimos tempos. “Os malfeitores tentaram romper as janelas, portas e sistemas de comunicações de algumas estações situadas ao longo do traçado Lubango/Menongue”, sublinhou.

Casas para funcionários

Nos próximos 12 meses vão ser construídas, ao longo da linha do CFM, 135 casas para os funcionários da empresa, nas províncias do Namibe, Huíla e Kuando-Kubango.
Antigas moradias vão ser reabilitadas nos municípios da Bibala, Namibe, Matala, Quipungo, Jamba, Cuvango, na província da Huíla, bem como no Cuchi e Menongue no Kuando-Kubango. Os projectos estão aprovados e estão incluídos no pacote do programa de reabilitação e modernização das estruturas ferroviárias do CFM. Foram aprovados 540 candidatos no concurso público que estão a ser enquadrados paulatinamente.  “Numa primeira fase, foram enquadrados 54 novos funcionários no Lubango, 35 no Namibe e Kuando-Kubango, que estão a receber formação”, disse Daniel Kipaxe, que aproveitou para tranquilizar os outros candidatos admitidos, pois o seu enquadramento vai ser feito a partir de Abril.

Tempo

Multimédia