Províncias

Comércio rural avança na Huíla

Estanislau Costa|Quipungo

O Programa de Promoção do Comércio Rural (PPCR), criado exclusivamente para financiar a aquisição dos produtos do campo, dá os primeiros passos na Huíla, com o lançamento feito pelo governador provincial, Isaac dos Anjos, no município de Quipungo. Para o sucesso da actividade, devem ser criadas condições adequadas de transporte e armazenamento.  

O Programa de Promoção do Comércio Rural criado para financiar a aquisição dos produtos do campo, dá os primeiros passos, com o seu lançamento, feito pelo governador provincial da Huíla, Isaac Maria dos Anjos, na sede municipal de Quipungo, 120 quilómetros a leste da cidade do Lubango.
Isaac dos Anjos exortou aos comerciantes contemplados com créditos a serem mais céleres e dinâmicos na realização das suas actividades. As fontes de aquisição dos produtos, os fornecedores e os mercados devem ser dominados para alcançar as metas preconizadas pelo Executivo angolano.
Para o sucesso da actividade, argumentou, é premente criar condições adequadas de transporte, armazenamento e dominar as zonas produtivas da província.
“Algumas zonas agrícolas da província precisam de pequenas infra-estruturas, para dar suporte à actividade comercial e servir de referência aos camponeses”, disse o governador Isaac dos Anjos.
O secretário-geral da Associação Agro-pecuária Comercial e Industrial da Huíla, Elísio Lobo, considera o Programa de Promoção do Comércio Rural, já em curso na província da Huíla, como a solução favorável para os produtos excedentes dos camponeses e fortalecimento do comércio rural.
A execução do projecto, explicou, está facilitada pela razão da agremiação possuir associados em todos os municípios da província e muitos abrangidos nesta primeira fase estarem munidos de ferramentas necessários para lidar correctamente com financiamentos e envolver-se em acções de comércio dos produtos do campo, nos centros urbanos da Huíla e não só.
O acto, realizado na sala de reuniões da administração municipal de Quipungo, foi testemunhado pela administradora Cândida Ukali, representantes dos bancos operadores dos fundos do programa, entre eles o BPC, BCI, Banco Sol e BAI, e a participação dos comerciantes. Elísio Lobo disse que para coroar de êxito a nova intervenção do Executivo, a maior associação empresarial da província vai ­desenvolver actividades no sentido de alargar o financiamento a outros pequenos comerciantes.
 “O nosso empenho visa a sustentabilidade do programa e dar a possibilidade de abranger outras pessoas”. O secretário-geral da Associação Agro-pecuária Comercial e Industrial da Huíla garantiu apoio total ao escoamento rápidos dos produtos e comercialização, com a realização de contactos preliminares com diversas unidades fabris, indústrias transformadoras e outras instituições de maior consumo, tais como centros militares, hospitais, creches e empresas com refeitório.
O mais importante, defendeu, neste programa, com fundos avultados disponibilizados pelo Executivo angolano, consiste em dar novo ímpeto à ligação entre o campo e a cidade, à diversidade e qualidade de produtos cultivados, melhorando a relação agricultor-comerciante-consumidor. Elísio Lobo afirmou que o arranque do programa vai dar maior consistência à realização da primeira Feira de Natal, agendada para Dezembro próximo, onde a Associação perspectiva levar bens de qualidade.

Tempo

Multimédia