Províncias

Concluída construção das primeiras casas

Arão Martins | Humpata e Domingos Mucuta | Lubango

As primeiras 60 residências, de um lote de 200, construídas no município da Humpata, na província da Huíla, são distribuídas no decurso do primeiro semestre deste ano, informou o administrador municipal, Januário Lombe.

Uma estação de tratamento de água foi criada na nova urbanização da Humpata
Fotografia: Arão Martins | Humpata

Concluída que está a construção das moradias de três quartos cada, as autoridades governamentais começam a tratar das redes técnicas de água e do fornecimento de energia eléctrica.
O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, visitou, na segunda-feira, o local e recomendou celeridade na instalação dos serviços em falta, para que as casas sejam distribuídas aos quadros e a jovens do município.
O director provincial de Energia e Água da Huíla, Abel João da Costa, informou que para as moradias construídas na nova urbanização da Humpata, foi criada uma Estação de Tratamento de Água (ETA), com capacidade de fornecer 40 metros cúbicos por hora, para atender não só a parte velha da Humpata mas também as novas urbanizações. A estação foi construída no ano passado, no âmbito do programa “Água para todos”.  Abel João da Costa informou que o Ministério da Energia e Água está empenhado em fornecer água potável às populações que vivem no meio urbano e rural, na sua totalidade, até 2017.
O administrador municipal da Humpata, Januário Lombe, disse que as moradias estão concluídas e vão ser distribuídas assim que tiverem água e energia, o que vai incentivar e motivar os quadros a trabalharem na localidade, sem necessitarem de percorrer 20 quilómetros até ao Lubango, onde muitos deles vivem.
No quadro do Programa de Combate à Pobreza, a administração municipal adquiriu um Posto de Transformação de energia eléctrica para as novas urbanizações.
A administração tem em carteira, para este ano, a construção de mais escolas, postos de saúde, reabilitação de estradas secundária e terciárias, tanques banheiros, entre outros. 
Januário Lombe explicou que com fundos do programa de Combate à Pobreza, foram construídos e equipados, em 2013, novos postos de saúde, escolas e furos de água.

Fundo para a juventude

O secretário executivo do Conselho Provincial da Juventude na Huíla defendeu na quarta-feira, no Lubango, a criação de um fundo de apoio às actividades das associações juvenis sem fins lucrativos, filiadas na instituição.
Joaquim Tyova sublinhou que as associações juvenis e estudantis na província enfrentam, nos últimos tempos, muitas dificuldades para a execução das acções que visam a mobilização social, educação cívica e moral, assim como a promoção da cidadania entre a população.
A falta de recursos materiais e financeiros, considerou, inibe as ideias de algumas e a intervenção de muitas associações existentes na província, o que condiciona também a sustentabilidade organizacional.“Os jovens associados têm ideias, mas muitas vezes vêem-se de mãos atadas para realizar as suas acções por falta de dinheiro. Não existe um fundo para o efeito”, explicou, sublinhando que o conselho está a tentar influenciar a política no sentido de apoiar as agremiações.
O Conselho Provincial da Juventude na Huíla vai este ano desenvolver programas de formação em matéria de gestão associativa, liderança juvenil e outras, para tornar os jovens mais capacitados e poder procurar financiamentos.
Durante o ano passado, o Conselho Provincial da Juventude promoveu, no quadro do apoio técnico e metodológico ao movimento associativo, acções de formação que permitiram a criação de quatro novas associações e o surgimento de 19 centros voluntários nos bairros periféricos do Lubango.
Foram ainda realizados trabalhos de sensibilização sobre o VIH/Sida, alfabetização de cidadãos com atrasos escolares, combate à violência doméstica, alcoolismo e drogas, além da prevenção da sinistralidade rodoviária.
O Conselho Provincial da Juventude conta com 90 associações, abrangendo um universo de 900 mil jovens associados.

Tempo

Multimédia