Províncias

Conselho regional traça estratégias para disciplinar venda informal

Domingos Mucuta | Lubango

O Conselho Regional Sul de Medicina Natural e Tradicional (CONMENTA), na Huíla, está a definir estratégias para disciplinar a actividade dos vendedores ambulantes de medicamentos naturais e tradicionais. A informação foi avançada ontem, no Lubango, pelo coordenador regional do Conselho de Medicina Natural e Tradicional, Mateus Vicente.

O Conselho Regional Sul de Medicina Natural e Tradicional (CONMENTA), na Huíla, está a definir estratégias para disciplinar a actividade dos vendedores ambulantes de medicamentos naturais e tradicionais. A informação foi avançada ontem, no Lubango, pelo coordenador regional do Conselho de Medicina Natural e Tradicional, Mateus Vicente.
Mateus Vicente esclareceu que, neste momento, estão a sensibilizar os praticantes do sector a aderirem à associação de ervanários, de parteiras tradicionais e vendedores de medicamentos naturais.
O conselho está preocupado com o elevado número de pessoas que vendem medicamentos de origem natural em locais impróprios. Muitos deles comercializam produtos nas ruas e mercado informal e, em alguns casos, passam receitas médicas, sem estarem devidamente credenciados.
“Os vendedores de medicamentos na rua não são especialistas em medicina natural. E aproveitam o desconhecimento das pessoas para passar receitas aos pacientes sem a dosagem ideal para o tratamento das doenças”, frisou.
As receitas passadas pelos vendedores ambulantes estão na base do aumento dos casos de intoxicação por medicamentos naturais ou tradicionais, que aparecem nos hospitais espalhados pela província da Huíla.
Mateus Vicente disse que o conselho de medicina natural está a reforçar a parceria com os órgãos de fiscalização da actividade económica e com a direcção provincial da Saúde, para o reconhecimento da actividade médica naturista. 
Como parceiro da direcção provincial da Saúde, o conselho regional quer ajudar as autoridades a controlar a importação e exportação de medicamentos tradicionais.
Prevê também emitir pareceres sobre a qualidade dos fármacos importados e exportados. Huíla é considerada, a nível do país e de África, como um dos berços da medicina natural, pelas potencialidades da sua flora, rica em plantas curativas. Por isso, assegurou, os membros do conselho estão preocupados com a exploração das ervas vendidas, dentro e fora do país, por cidadãos nacionais e estrangeiros, sem benefícios para a província.

Tempo

Multimédia