Províncias

Constrangimentos na assistência materno-infantil estão perto do fim

Arão Martins | Lubango

Os constrangimentos registados a nível da assistência materno-infantil, no município da Chicomba, na província da Huíla, poderão ser ultrapassados brevemente, com o fim das obras da nova maternidade, assegurou sexta-feira a administradora local.

A par da construção da maternidade e a reabilitação dos postos médicos na comuna do Quê e Cutenda são uma aposta do Governo Provincial da Huíla
Fotografia: Arão Martins

Os constrangimentos registados a nível da assistência materno-infantil, no município da Chicomba, na província da Huíla, poderão ser ultrapassados brevemente, com o fim das obras da nova maternidade, assegurou sexta-feira a administradora local.
«De acordo com Luísa Francisco, a construção da nova maternidade municipal de Chicomba vai diminuir as enchentes que se verificam na assistência às mulheres grávidas, no hospital municipal de Chicomba.
A administradora municipal informou ainda que os trabalhos de construção da nova maternidade vão permitir que as parturientes sejam assistidas com mais dignidade.
 Actualmente, os serviços da maternidade são efectuados a nível do hospital municipal “Januário Calola”. Esta situação, dada a exiguidade de salas de partos na instituição, tem causado dificuldades no atendimento às mulheres e crianças.
Luísa Francisco referiu que as obras de construção da nova maternidade, que se inserem no Programa Integrado Municipal de Combate à Pobreza, decorrem sem sobressaltos.
A par da construção da nova maternidade, a administradora anunciou que estão a ser igualmente reabilitados os postos médicos das comunas do Quê e Cutenda.
 No município, a malária, as doenças diarreicas agudas e a tuberculose são as enfermidades mais frequentes, disse a responsável, para quem o gráfico de mortalidade é bastante baixo, dada as melhorias verificadas na assistência médica e medicamentosa.
O município tem um orçamento canalizado especificamente ao sector da Saúde, o que tem permitido a aquisição de medicamentos.
Neste sector, a administradora de Chicomba realçou também o reforço de novos técnicos admitidos através do concurso público da direcção provincial da Saúde.
 
Mais escolas

Além do sector da Saúde, a administradora de Chicomba avançou que, no quadro das acções de combate à fome e à pobreza, estão a terminar as obras de construção de três escolas de oito salas de aulas cada, nas comunas de Cutenda,
Quê e na sede do município.Luísa Francisco disse que as escolas vão permitir inserir 2.000 crianças, que ainda se encontram fora do sistema de ensino, e mais outras que frequentam as aulas em salas provisórias.Está também em curso a construção de três casas, na sede do município. O programa inclui ainda a construção e reabilitação de dois tanques para lavagem de animais, mangas de vacinação e da nova sede da administração, uma estrutura moderna.

Apoio à Agricultura

O sector da Agricultura, segundo a administradora municipal Luísa Francisco, é das grandes prioridades do pelouro local. Neste âmbito, mais de mil camponeses associados em cooperativas foram potenciados com bovinos e instrumentos de trabalho.Enxadas, catanas, machados, picaretas, limas e charruas foram os materiais que os camponeses receberam, com vista ao desenvolvimento do seu programa, uma acção levada a cabo em conjunto com a direcção provincial da Agricultura, através da Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA).

Tempo

Multimédia