Províncias

Construído hospital de referência

Arão Martins | Lubango

A assistência médica e medicamentosa às populações da comunidade do Toco, comuna do Hoque, no município do Lubango, vai conhecer melhorias significativas, em 2017, com a entrada  em funcionamento do novo hospital, construído com fundos do Governo Provincial e da Arquidiocese da Igreja Católica.

Com a entrada em funcionamento do novo hospital os moradores de Toco deixam de acorrer a outras localidades para ter uma boa assistência médica
Fotografia: Arão Martins | Huíla

O pároco da Paróquia do Toco, Américo da Costa Gomes, disse ao Jornal de Angola tratar-se de uma grande obra que resulta da participação efectiva do Executivo, através do Ministério da Saúde, Governo Provincial da Huíla e Administração Municipal do Lubango. Ao todo foram desembolsados mais um milhão e quinhentos mil dólares.
A unidade sanitária erguida no perímetro da Paróquia de Nossa Senhora da Muxima do Toco, tem capacidade para internar 50 doentes e vai dispor de serviços de cirurgia, pediatria, maternidade, Programa Alargado de Vacinação (PAV), farmácia e laboratórios clínicos. Também estão previstas áreas de Raio-X, consultas internas e externas e morgue. O hospital foi construído numa zona estratégica e vai servir de tampão para a cidade do Lubango. A unidade sanitária, além de prestar assistência médica à população do Toco vai igualmente servir doentes da cidade do Lubango.
“Todos os dias vemos ambulâncias a circularem do norte e leste da província da Huíla em direcção à cidade do Lubango, agora vamos, com a construção deste hospital, criar uma zona tampão para as questões de emergências”, adiantou o pároco da Paróquia do Toco.
Américo da Costa Gomes explicou que os doentes que saem do município da Cacula até à cidade do Lubango percorrem mais de 100 quilómetros, o que considera desgastante, daí a necessidade da construção do hospital do Toco, que passará a solucionar muitos problemas de saúde, sem precisar recorrer para a capital da província da Huíla. 
O sacerdote católico acredita que  o hospital do Toco   vai ajudar a minimizar os custos de doentes que recorrem à Namíbia em busca da assistência médica de qualidade.
“As autoridades da província trabalham para que, dentro de pouco tempo, entre em funcionamento a unidade sanitária”, avançou o responsável da Igreja Católica local.

Projecto de formação

Na comunidade do Toco, a Arquidiocese da Igreja Católica conta um centro de formação profissional, cozinhas e lavras comunitárias que apoiam os idosos e jovens. A rede escolar foi ampliada com a construção de mais salas em todas capelas da circunscrição.
O administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, considerou a igreja Católica o principal parceiro do Estado nas mais variadas vertentes e disse que a construção do hospital surge como um contributo no quadro da melhoria da qualidade de vida das populações.
“O hospital constitui um bem para a população, qualquer um de nós necessita deste serviço, daí que a Igreja, ao construir tal infra-estrutura,   tenha todo o apoio do Estado e é neste sentido que se trabalha”, concluiu o sacerdote.

Tempo

Multimédia