Províncias

Cooperativa colhe os primeiros frutos

André Amaro | Lubango

A Cooperativa Agrícola Aurora Impulo, de Quilengues, começa no mês de Setembro a colher milho e feijão, na sequência do financiamento que recebeu do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA).

Ministro da Agricultura incentiva produtores
Fotografia: André Amaro| Lubango

Nesta primeira fase, a cooperativa, que conta com 220 associados, dos quais 31 já beneficiaram do financiamento, perspectiva colher 300 toneladas de milho, feijão e produtos hortícolas.
O vice-presidente da Cooperativa Agrícola Aurora Impulo, Almeida Pinho, garantiu durante a visita do ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Pedro Canga, que, fruto do financiamento de 15 milhões de dólares que o BDA concedeu, é possível colher, no principio do mês de Setembro, 300 toneladas de milho e feijão.
“Estamos a explorar uma área de 15 mil hectares, onde dez fazendas já estão a operar na produção de milho, feijão e produtos hortícolas, enquanto outros associados estão empenhados na desmatação dos espaços e aquisição de equipamentos”, sublinhou Almeida Pinho.
Para garantir a irrigação e prever fenómenos de estiagem os técnicos estão a fazer furos com profundidades entre 15 a 70 metros, para extrair água do subsolo. Almeida Pinho frisou que a produção vai ser escoada para os mercados do município do Lubango, Huíla, e para as províncias de Benguela, Kwanza-Sul e Luanda.
O vice-presidente da Auro Impulo informou que com o início da produção, foi possível criar 105 postos de trabalho directos e outros indirectos para a juventude do município de Quilengues. O ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Pedro Canga,  felicitou o Banco de Desenvolvimento Angola por ter financiado a cooperativa de agricultores, que se comprometeu a aplicar os fundos na produção de milho,  feijão e outros produtos.
Pedro Canga apelou aos associados da cooperativa Aurora Impulo a usaram da melhor forma os recursos disponíveis, de modos a gerar emprego e contribuir para a segurança alimentar. “Desejo muitos êxitos e empenho aos beneficiários e tenho a certeza de que vão fazer o bom uso dos recursos disponibilizados, no sentido de produzir, criar emprego e contribuir para o aumento da oferta dos produtos essenciais às populações”, sublinhouo ministro Pedro Canga.

Tempo

Multimédia