Províncias

Cooperativa deita mãos à obra

Cinco mil residências vão este ano ser construídas na província da Huíla pela Cooperativa Pérola Verde, informou na quarta-feira, na cidade do Lubango, o vice-presidente da organização, Paulino Pinheiro.  

Mais de cinco mil moradias começam a ser construídas em Março na Huíla
Fotografia: Jornal de Angola

Cinco mil residências vão este ano ser construídas na província da Huíla pela Cooperativa Pérola Verde, informou na quarta-feira, na cidade do Lubango, o vice-presidente da organização, Paulino Pinheiro.  
O responsável adiantou à Angop que a edificação das moradias vai começar em Março próximo e, numa primeira fase, vai contemplar 500 residências, num espaço de 100 hectares da área da Eywa, arredores do Lubango.
Apesar de não revelar o montante a ser gasto com a execução do projecto, o vice-presidente da cooperativa explicou que o condomínio conta com o apoio das Forças Armadas Angolanas (FAA) e de um banco alemão. A intenção é atribuir uma residência condigna aos militares e à população civil interessada.
Para aderir às casas, Paulino Pinheiro disse que os interessados devem contribuir com 260 mil kwanzas. O projecto teve início nas províncias do Bengo e Kwanza-Sul, onde foram seleccionados 360 hectares por cada localidade para a construção de 10 mil residências (cinco para cada uma). A nível do país, Paulino Pinheiro salientou que a cooperativa prevê, num prazo de cinco anos, edificar 50 mil casas, no âmbito do programa habitacional levado a cabo pelo Executivo angolano. A Cooperativa Projecto Pérola Verde foi concebida, no ano passado, para dar resposta às dificuldades de habitação com que se debatem os desmobilizados das Forças Armadas Angolanas.

Tempo

Multimédia