Províncias

Crédito Agrícola reforça produção

Arão Martins | Lubango

Famílias camponesas dos municípios de Quipungo, Matala, Caluquembe, Caconda e Chicomba, na província da Huíla, estão a beneficiar de Crédito Agrícola de Campanha, no âmbito da nova época agrícola 2015-2016, informou ontem o director provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural em exercício.

Sector da agricultura continua no centro das prioridades do Executivo por ser a base sustentável de muitas famílias e por combater a pobreza
Fotografia: Arimateia Baptista | Huíla

Jesus Rosa disse ao Jornal de Angola que o programa vai beneficiar 20 mil famílias seleccionadas em cinco municípios e lembrou que objectivo é fortalecer a capacidade produtiva das famílias camponesas durante a campanha agrícola 2015-2016, que começa no princípio do proximo mês de Outubro.
O crédito de campanha agrícola está a ser financiado pelo Banco de Poupança e Crédito (BPC), Sol e Banco de Comércio e Industria (BCI). Numa primeira fase foram abrangidas as famílias camponesas das comunais e aldeias dos municípios em referência.
Sublinhou que com o crédito de campanha agrícola, as famílias camponesas são potenciadas com equipamentos de trabalho, como motobombas, enxadas europeias e tradicionais, lima, catanas, correntes, charruas e outros meios.
Tendo em conta a actual conjuntura, Jesus Rosa admitiu que o sector da Agricultura continua no centro das prioridades do Executivo, por ser a base sustentável das famílias. Recordou que com o crédito agrícola de campanha, os camponeses vão aumentar a sua capacidade de produção, com vista a combater à pobreza.

Exemplo de Caluquembe


O crédito de campanha agrícola no município de Caluquembe, província da Huíla, permitiu aumentar a qualidade de vida de muitas famílias, soube o Jornal de Angola. Elisabeth Quicuxi, da cooperativa de camponeses da missão Católica de Chilunda, comuna da Negola, integra um grupo de mulheres que recebeu juntas de gado de tracção animal, no âmbito do crédito de campanha 2013, o que permitiu aumentar e intensificar a produção de cereais e hortícolas.
Elisa Jonatão, da associação de camponeses de mulheres na localidade de Calanda, reconheceu que o programa está a contribuir para combater à fome e à pobreza. Vitória Ribas beneficiou de duas juntas de gado de tracção animal. Residente na sede comunal Sandula, ela faz parte da associação de camponesas de mulheres do 1º de Maio, que detém mais de dez hectares de terra. O gado de tracção animal e de reprodução adquiridas pela administração municipal de Caluquembe beneficiou 100 mulheres, que integram nas associações de camponeses de Hondeque, Missão da Chilunda, Chavola, Calanda, 1º de Maio, Cooperativa Comandante António Ngonga e a Associação Ekuatisso Lyakãy. Em finais de 2013 entrou em funcionamento, no município de Caluquembe, um banco de sementes, com vista a dinamizar o processo de distribuição de sementes aos camponeses.O administrador municipal de Caluquembe, José Arão Nataniel, disse que para tirar maior proveito do programa de crédito agrícolas, foi criado um banco de sementes que permite apoiar as famílias de forma rotativa, através de distribuição de inputs agrícolas.
A administração municipal, através da direcção municipal da agricultura está a incentivar as culturas que têm um rendimento baixo. Por exemplo, em termos de renda um quilograma de feijão custa 50,00 kwanzas e de milho 35,00 kwanzas. “Privilegiamos estes produtos que têm um rendimento e com uma procura maior, para que a economia do cidadão camponês  seja melhor.
O banco de sementes tem sido uma alavanca para  esta acção ser uma realidade", disse o administrador municipal de Caluquembe, que considerou satisfatórios os resultados obtidos com a entrada em funcionamento do banco de sementes.
José Arão Nataniel reconheceu que a banca também desempenha um papel importante com os programas de micro - crédito e crédito de campanha, mas disse que a maior parte dos beneficiários não cumpre com os contratos celebrados.

Tempo

Multimédia