Províncias

Crédito de campanha impulsiona agricultura

Domingtos Mucuta | Lubango

A cedência de crédito de campanha aos pequenos e grandes agricultores, associados em cooperativas, está a impulsionar a actividade agrícola no município da Jamba, província da Huíla, assegurou, no Lubango, o administrador municipal.

A cedência de crédito de campanha aos pequenos e grandes agricultores, associados em cooperativas, está a impulsionar a actividade agrícola no município da Jamba, província da Huíla, assegurou, no Lubango, o administrador municipal.
Miguel Cassela informou que, desde o início do processo, em Janeiro do ano passado, os agricultores receberam alfaias agrícolas no valor de 14 milhões de kwanzas, dos 30 milhões previstos. Acrescentou que o programa de crédito de campanha contemplou 144 camponeses, do município da Jamba.
O administrador disse que o processo prossegue para beneficiar mais agricultores. O crédito é reembolsável em 10 meses, com juros bonificados.
Miguel Cassela sublinhou que os camponeses da Jamba, que já tiveram acesso ao crédito, receberam charruas, gado bovino, para tracção animal, carroças, sementes diversas e fertilizantes.
O administrador disse que os camponeses aproveitam as condições posta à disposição pelas autoridades para apostarem na diversificação da produção alimentar, através do cultivo de milho, feijão, mandioca, batata-doce, gergelim e outros produtos. Miguel Cassela acredita que, se se mantiver a regularidade das chuvas, o município da Jamba pode perspectivar boa safra. “A actividade económica do município da Jamba não está reduzida à exploração mineira. As famílias exercem actividade no campo, não só para subsistência, mas também para a comercialização do excedente”, disse o administrador.
A aposta da administração da Jamba, disse Miguel Cassela, é incentivar os camponeses a cultivar hortícolas. Frisou que o município precisa de introduzir novos sistemas de rega, para acelerar a produção de couve, tomate, cebola, cenoura, alho e alface.
O administrador da Jamba convidou os empresários nacionais e estrangeiros a investirem no município, com vista ao desenvolvimento da agricultura mecanizada.  “A entrada dos empresários no município vai transferir tecnologias para os pequenos agricultores, que ainda não dispõem de tractores e outros instrumentos modernos”, disse.
Miguel Cassela argumentou que, além da mineração, o sector da agricultura tem potencialidades para desenvolver a economia local e da província da Huíla.

Tempo

Multimédia