Províncias

Cresce na província número de escolas do ensino privado

João Luhaco |Lubango

O número de escolas privadas na província da Huíla continua a crescer absorvendo uma boa arte da camada estudantil, reconheceu ontem, na cidade do Lubango, o responsável do Ministério da Educação para esta área.

Domingos Canto disse que as escolas privadas absorvem boa parte de alunos, logo, referiu, consideram-se parceiros estratégico do Estado no processo de ensino. “Queremos que haja mais escolas para permitir o acesso de mais crianças com idade escolar. Há também a necessidade de se primar pela qualidade, para que tenhamos bons quadros no país”.    
Domingos Canto considera a província bem servida no ensino particular, pois anualmente nota-se "um crescimento sem igual" de instituições escolares, o que é importante para a região.
Até ao ano lectivo transacto, a província contava com 59 colégios, e a este número, este ano, juntam-se mais seis. O responsável para o ensino privado na província da Huíla reconheceu que destas escolas apenas 18 estão legalizadas e 13 colégios aguardam pela vistoria para depois serem validados na Direcção Nacional do Ensino Geral.
Neste contexto, Domingos Canto explicou que das 59 instituições do ensino privado que funcionam na Huila, 18 dispõe de licença,   outros têm somente alvarás.
“Penso que os 13 colégios não são ilegais, uma vez que tinham sido legalizados pelo anterior decreto, estando, neste momento, à espera que se faça a transição para o actual e terem as suas licenças. Os restantes têm os seus processos em andamento”, o responsável.

Tempo

Multimédia