Províncias

Criadores de gado querem qualidade

André Amaro | Lubango

A Cooperativa de Criadores de Gados da Região Centro e Sul (CCGRS) está a desenvolver um projecto de melhoramento do gado bovino, com vista a garantir o fornecimento de carne para consumo com maior qualidade.

Os membros da cooperativa possuem um efectivo animal de mais de 25 mil cabeças de gado
Fotografia: Jornal de Angola

A Cooperativa de Criadores de Gados da Região Centro e Sul (CCGRS) está a desenvolver um projecto de melhoramento do gado bovino, com vista a garantir o fornecimento de carne para consumo com maior qualidade.
O projecto envolve 49 criadores de Benguela, Namibe, Cunene, Kuando-Kubango e Kuanza-Sul, que possuem um efectivo animal de 25 mil cabeças de gado melhoradas, nos últimos quatro anos.
De acordo com o secretário da CCGRS, Álvaro Fernandes, que ontem prestou a informação, o processo é feito através da importação de uma espécie europeia que cruzada com o gado local resulta em animais bem desenvolvidos.
O responsável da cooperativa, que considerou a iniciativa positiva, explicou que a nova espécie se desenvolve num curto espaço de tempo e chega a atingir um porte maior em relação à raça local.
Este gado, bem alimentado com rações específicas, água em abundância, vacinação em dia, continuou Álvaro Fernandes, atinge um ciclo de reprodução relativamente curto e com uma qualidade da carne melhor para a alimentação. Pelo facto de oferecer uma série de vantagens, os associados estão a apostar na renovação das suas manadas, através de importações da Europa e trocas entre si.
O secretário informou que os criadores estão a recorrer aos créditos bancários para a concretização deste projecto, cujos frutos já são visíveis em algumas fazendas.
A cooperativa, salientou Álvaro Fernandes, criou uma equipa técnica composta por veterinários e especialistas em gado bovino que está a prestar assistência aos seus membros e não só.
 
Matadouro Industrial

Entretanto, um matadouro industrial, com capacidade para abater entre 150 a 200 cabeças de gado por dia, começa a ser construído este ano, no município da Chibia, pela Cooperativa de Criadores de Gado da Região Sul, anunciou o secretário desta instituição.
Orçado em cerca de dez milhões de dólares, a construção do matadouro é financiada pela banca local, com o propósito de apoiar os empresários e melhorar a qualidade de carne consumida na região.
O projecto prevê a instalação de quatro câmaras frigoríficas de grande dimensão, sistema de embalagem, espaço para aproveitamento e tratamento da pele para cortiça.
Álvaro Fernandes informou que o governo provincial da Huíla já concedeu um terreno nos arredores do município da Chibia, onde brevemente começam a ser instalados os equipamentos para erguer a estrutura.
O secretário da CCGRS referiu que os matadouros existentes na região centro e sul do país são insuficientes em relação ao número de gado abatido diariamente.
Além disso, o novo empreendimento vai melhorar as condições de higiene e sanidade.
Álvaro Fernandes garantiu que a criação do matadouro industrial contribui para o programa de segurança alimentar levado a cabo pelas autoridades locais.

Tempo

Multimédia