Províncias

Criadores tradicionais com novas raças de gado

André Amaro| Lubango

Um total de 200 cabeças de gado bovino da raça nelor começou a ser distribuído aos criadores tradicionais de cinco comunas do município do Lubango, no sentido de fomentar a actividade agropecuária e melhorar os rebanhos.

Animais de raça nelor são de origem indiana fecundam dezenas de vacas por ano o que permite aos criadores melhorar os seus rebanhos
Fotografia: Arimateia Baptista|Huíla

Numa primeira fase, foram entregues 27 machos da raça nelor a um grupo de 23 criadores tradicionais da comuna do Hoque, que dista 52 quilómetros da sede municipal do Lubango, para melhorar a “performance” do gado autóctone.
O responsável da repartição municipal da Agricultura e Desenvolvimento Rural e Pescas do Lubango, Francisco Silva, esclareceu que o projecto está a ser executado no âmbito do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.
Francisco Silva garantiu que se prevê, até Dezembro próximo, distribuir 200 machos da raça nelor aos criadores tradicionais das comunas do Hoque, Arimba, Huíla, Quilemba e da sede, Lubango, para fazerem o cruzamento com gado tradicional.
O responsável adiantou que a iniciativa visa promover o cruzamento entre fêmeas locais e machos de raça nelor, no sentido de melhorar o peso e a carcaça da estrutura física.
Francisco Silva esclareceu que os animais de raça nelor são de origem indiana e podem fecundar mais de 25 vacas por ano, o que permite aos criadores melhorar os ­rebanhos e os seus rendimentos. O responsável da Agricultura referiu que o projecto está a beneficiar os criadores tradicionais com pequenas manadas, bem como jovens empreendedores em fase inicial da actividade pecuária.
O criador tradicional Salo Padre, um dos beneficiários do projecto de fomento agropecuário da comuna do Hoque, garantiu que vai fazer esforços para que o touro que receber possa ajudar na reprodução.
Salo Padre disse que tem um rebanho de 25 cabeças de gado tradicional, mas com a recepção do novo touro pretende trocar os três machos por fêmeas, para facilitar a rápida reprodução e aumentar o rebanho. Outra contemplada na comuna do Hoque, Kassinhola Miúdo, considera a chegada da nova espécie mais-valia para a reprodução, uma vez que tem 20 vacas.
Kassinhola Miúdo disse estar consciente de que o animal que recebeu precisa de alguns cuidados para se adaptar ao novo ambiente, daí esperar o apoio dos técnicos da Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA) naquela parcela da província.

Fomento da fruticultura e da avicultura

Além da distribuição de gado bovino de outras raças, o projecto de fomento agropecuária compreende a fruticultura e a avicultura, com a entrega de plantas e galos reprodutores.
O responsável da repartição municipal da Agricultura e Desenvolvimento Rural e Pesca do Lubango, Francisco Silva, disse que a nível da fruticultura já foram distribuídas 3.000 mangueiras nas cinco comunas.
No início deste ano, foram entregues duas variedades de mangueiras aos camponeses e agricultores das comunas da Quilemba, Hoque, Huíla, Arimba e Lubango, com visto ao fomento da fruticultura.
Francisco Silva sublinhou que, no mesmo período, foram entregues 50 galos de origem zambiana às cinco comunas, animais adquiridos pelo Pólo de Desenvolvimento Agrário de Waku Kungo, província do Kwanza-Sul, para desenvolvimento da avicultura.

Tempo

Multimédia