Províncias

Criados centros de inserção digital

Arão Martins| Lubango

A Universidade Mandume Ya N­demufayo vai investir 200 milhões de kwanzas para a instalação, até 2017, de mais de 12 oficinais de inclusão digital e social nas diversas localidades que integram a VI Região Académica.

Projecto é uma iniciativa da universidade concebida no âmbito do seu programa de acção
Fotografia: André Amaro| Huíla

O reitor em exercício da Universidade, Abraão Mulangi, que é também o coordenador do projecto, disse que, com a instalação destas oficinas, pretende-se avaliar como as tecnologias de informação e comunicação (TIC) podem ajudar no programa de combate à pobreza, através da inserção digital em pequenos negócios nas localidades pelos indivíduos do grupo alvo.
Este projecto começou a funcionar com a instalação de oficinas na localidade da Tchavola, no Lubango, e em Manquipa, no Cunene, tendo como população alvo estudantes, professores, agricultores, enfermeiros e comerciantes.
 O objectivo é gerar pequenos negócios, com a instalação de oficinas para a montagem e manutenção de computadores nas localidades seleccionadas para a colocação dos meios.
O projecto resulta do edital para a ciência e tecnologia promovido entre Angola e África do Sul, através dos respectivos ministérios da Ciência e Tecnologia, e que no caso particular está sob a direcção da Universidade Mandume Ya Ndemufayo.
O coordenador informou que se trata apenas do início de uma série de projectos concebidos a nível desta Universidade, que identificou, para os próximos anos, mais 18 programas, que vão ganhar corpo à medida que as oportunidades forem surgindo. Para já, este está a ser possível graças à interacção entre a universidade e os agentes privados e públicos, principalmente as instituições que cederam instalações para a realização dos eventos.
O projecto “Oficina de Inclusão Digital versus Inclusão Social” é uma iniciativa da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, concebida no âmbito do seu programa de acção formativa contínua e diferenciada das comunidades desfavorecidas que se encontram na área abrangida pela VI Região Académica. Abraão Mulangi salientou que este projecto visa a inserção ­social e o pleno exercício da cidadania, através das novas tecnologias de informação e comunicação, elevando, deste modo, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em Angola.
As Oficinas de Inclusão Digital versus Inclusão Social são centros de livre acesso ao público, que oferecem serviços de comunicação, informática e Internet, com o objectivo de reduzir as desigualdades económicas e sociais, entre outras.
Estas oficinas devem procurar sinergias para a auto sustentabilidade, um processo de democratização do acesso às tecnologias de Informação .

Tempo

Multimédia