Províncias

Crianças abandonadas na maternidade

Arão Martins | Lubango

A esposa do governador da Huíla, Guilhermina Tyipinge, disse, ao Jornal de Angola, estar preocupada com os casos de abandono de recém-nascidos, verificados nos últimos meses na Maternidade do Lubango.

"É preciso sensibilizar as mulheres para que tal prática seja banida na nossa província e no país”, disse Guilhermina Tyipinge, quando entregava um enxoval ao primeiro bebé nascido na noite de Natal.
Guilhermina Tyipinge pediu às mulheres grávidas para fazerem as consultas pré-natais, para proteger a vida do bebé e da parturiente.
O cumprimento das vacinas é outro conselho deixado por Guilhermina Tyipinge  como forma de proteger a vida da criança e permitir-lhe um crescimento saudável. Apelou às mulheres para banirem as bebidas alcoólicas durante a gravidez.
“Nesta fase da quadra festiva há sempre pessoas que exageram no consumo de bebidas alcoólicas, o que deve ser evitado para proteger as famílias”, afirmou.
A directora clínica da Maternidade do Lubango disse que existem muitos casos de abandono de recém-nascidos, cujas mães alegam falta de condições para sustentar o bebé. Revelou que, só nos últimos dois meses, pelo menos três recém-nascidos foram abandonados na Maternidade do Lubango.
A directora clínica da Maternidade do Lubango, Luísa Ferreira, disse que, na noite de Natal, a instituição registou o nascimento de 18 bebés, dos quais quatro por cesariana.
 “Os bebés nasceram bem e saudáveis e as mães também registam um quadro positivo”, explicou a médica.Luísa Ferreira pediu às mulheres grávidas para seguirem as consultas pré-natais e irem regularmente à Maternidade, sempre que sentirem alguma anomalia, para que o parto decorra sem sobressaltos.

Tempo

Multimédia