Províncias

Crianças estudam em melhores condições

Estanislau Costa e Alfredo Chiva | Lubango

Um total de 800 crianças residentes na povoação de Cangolo, na comuna da Huíla, frequentam, desde ontem, as aulas em melhores condições, depois de beneficiarem de uma nova escola, informou o  administrador municipal do Lubango.

A nova escola cujas obras ficaram orçadas em milhões de kwanzas possui também espaços para aulas de educação física e
Fotografia: Estanislau Costa| Lubango

A escola foi construída pelo Fundo de Apoio Social (FAS), tem seis salas de aulas e vai acolher alunos do ensino primário e do I ciclo do secundário, disse Francisco Barros, durante a inauguração da escola.
 O imóvel, orçado em 40 milhões de kwanzas,   possui dois gabinetes para os directores, sala de professores, cantina, espaços para aulas de educação física, de lazer e de recreação. O soba da região, Fernando Lupema, manifestou satisfação por ver quase ultrapassada a fase em que os alunos eram obrigados a assistir às aulas debaixo de árvores ou em salas improvisadas de pau a pique.
Para solucionar na totalidade a situação do ensino geral, a autoridade tradicional solicitou  a construção de uma escola do II ciclo do ensino secundário, para evitar que as crianças abandonem a comuna para dar continuidade dos estudos noutras localidades.
Fernando Lupema pediu  a instalação de um sistema de captação e abastecimento de água potável e de   casas para os professores, de forma a encurtar a distâncias que separa o  local de residência destes e a escola na comuna.
A administradora da comuna da Huíla, Ana Domingos, informou existir  ainda em Cangolo algumas de crianças fora do sistema de ensino.
Para contornar a situação, disse que a administração e os membros da comunidade estão a trabalhar para construir mais salas de aulas, que vão ajudar na inserção de mais crianças no sistema.

Projecto de aquacultura

Até ao final deste ano, os habitantes da comuna da Huíla passam a consumir peixe criado na localidade Cangolo, com a execução do projecto de aquacultura, por um empresário da circunscrição.  O responsável do projecto, Emanuel da Silva, disse que, com um financiamento do Programa Angola Investe, construiu inicialmente cinco tanques  para criação de  40 toneladas de peixe da espécie chopa e abastecer o mercado do Lubango. 
Os peixes, referiu, precisam de permanecer seis meses nos tanques de engorda e com garantias de todos os cuidados necessários, para   crescerem saudáveis.

Tempo

Multimédia