Províncias

Crianças vulneráveis estão melhor instaladas

Estanislau Costa | Lubango

Mais de 560 crianças vulneráveis, sob os cuidados de quatro missões da Igreja Católica espalhadas por vários pontos da Huíla, vão passar a viver com condições mais adequadas graças à construção e apetrechamento de novas instalações.

Ministro da Reinserção Social destacou o empenho das igrejas no acolhimento e protecção das crianças órfãs e desamparadas
Fotografia: Jornal de Angola

Orçadas em mais de cem milhões de kwanzas e erguidas pela construtora Omatapalo, as novas instalações enquadram-se na iniciativa presidencial de apoio às instituições religiosas, que acolhem crianças vulneráveis ou sem amparo familiar.
O ministro da Assistência e Reinserção Social, João Baptista Kussumua, entregou os internatos feminino e masculino das Missões Católicas do Sendi, no município do Quipungo, com capacidade para 69 crianças, e da Vila da Ponte do Cuvango, projectado para 74 menores.
O ministro, que se deslocou a zonas recônditas, entregou ainda os internatos feminino e masculino da Missão Católica de São Carlos do Luanga, na comuna da Ngola, em Caluquembe.
Os três estabelecimentos, com capacidade para acolherem um total de 398 crianças, possuem refeitórios, dormitórios, salas de leitura, balneários e outras divisórias.
 As missões instaladas nas zonas mais recônditas da província receberam meios de transporte todo-o-terreno, para facilitar a mobilidade dos missionários. O cultivo de cerais e hortofrutícolas na região, fundamental para o auto-sustento dos lares, mereceu a devida atenção do titular do ministro, que distribuiu diversos instrumentos de trabalho, para alargar as áreas de produção e as colheitas.
Para melhorar a cesta básica, também foram entregues alimentos diversos, com realce para quantidades consideráveis de arroz, fuba de milho, óleo vegetal, feijão, conservas e roupa usada.
 O apoio entregue contempla equipamento informático, televisores, instrumentos musicais e gerador termoeléctrico.
João Baptista Kussumua realçou a importância do empenho das igrejas no acolhimento, protecção e educação das crianças órfãs e desamparadas no país.
 “As instituições religiosas existentes em Angola e em particular na província desenvolvem sempre acções atinentes à protecção das crianças a todos níveis, o que permite o seu crescimento saudável”.
O Executivo aprovou um programa da juventude que estabelece metas de desenvolvimento deste grupo etário. Por isso, explicou o ministro, considera pertinente que as crianças tenham um bom relacionamento e promovam a troca de experiências com outras instituições, para haver unidade e reconciliação entre elas.“Estamos a operacionalizar os 11 compromissos com a criança, pois elas precisam de crescer e desenvolver-se de forma harmoniosa. É fundamental transmitir-lhes boas maneiras e boas práticas, para serem diferentes e de terem boa postura, comportamento, atitude e servirem de exemplo”, referiu.
 
Reconhecimento

Os missionários contemplados com instalações modernas e outros apoios reconheceram o empenho do Presidente da República na criação de condições favoráveis ao bem-estar das crianças desamparadas.
O padre da Missão de São Carlos do Luanga, Francisco Tchipela, disse que os homens sábios apostam na formação e acomodação em condições dignas para as crianças e jovens, por eles serem os continuadores das “obras que criam o crescimento e o desenvolvimento”.
A Missão de São Carlos do Luanga, com 43 anos de existência, possui um centro de formação profissional que ministra cursos de agro-pecuária, electricidade, mecânica, construção civil, pastelaria, culinária e decoração. As escolas primária e do 1º ciclo matricularam dezenas de alunos da povoação.
A directora do lar, Madre Miyrtille Azenar, garantiu que as crianças e adultos vão prestar atenção especial à preservação das novas infra-estruturas, que estão a servir a comunidade das zonas mais recônditas do país.

Tempo

Multimédia