Províncias

Cuidados médicos estão em expansão

André Amaro| Lubango

As populações das comunas, vilas, aldeias e sectores do município do Quipungo, Huíla, têm acesso à assistência médica e medicamentosa mais facilitada graças à aplicação, a partir do ano passado, do Programa de Municipalização dos Serviços de Saúde, garantiu o chefe da repartição municipal de Saúde da região.

Implementação do Programa de Municipalização dos Serviços de saúde melhorou consideravelmente a assistência sanitária na província
Fotografia: Arimateia Baptista | Huíla

As populações das comunas, vilas, aldeias e sectores do município do Quipungo, província da Huíla, têm acesso à assistência médica e medicamentosa mais facilitada, com a implementação do Programa de Municipalização dos Serviços de Saúde, em 2012, garantiu o chefe da repartição municipal de Saúde da região.
Joaquim Francisco afirmou que graças a este programa os serviços de saúde estão a ir ao encontro das comunidades nas localidades mais recônditas do município, lembrando que estão a levar os cuidados primários de saúde às crianças menores de cinco anos, acompanhamento de mulheres grávidas, primeiros socorros, assim como campanhas de sensibilização e prevenção de saúde.
No quadro do programa de municipalização dos serviços de saúde, a repartição municipal recebeu um orçamento de 191 milhões 520 mil kwanzas, que permitiu implementar vários projectos no sector.
Em 2012, foi possível construir um posto de saúde na localidade de Cainda e um outro está a ser construído na sede do município do Quipungo, que vai contemplar novos serviços que antes não possuía.

Adquiridas duas ambulâncias

O responsável da saúde do Quipungo sublinhou que o sector adquiriu duas ambulâncias, uma para a sede e a outra para o centro médico da missão católica da comuna do Sendy e lembrou que, no decurso do ano findo, foram distribuídas motorizadas para cada um dos técnicos das dez unidades sanitárias que o município possui, de modos a facilitar a locomoção dos trabalhadores.Foram ainda adquiridos sistemas de câmaras frigoríficas para cada uma das unidades sanitárias, para a conservação das vacinas, assim como medicamentos e material gastável.
O chefe da repartição da saúde, do município, Joaquim Francisco, deu também a conhecer que foram construídas quatro farmácias nas comunas da Humbo, Sendy, Chicungo e na sede do município, para facilitar o acesso das populações a medicamentos de qualidade.

Recrutamento de  técnicos

O recrutamento de mais enfermeiros e técnicos de farmácia e laboratório para reforçar os quadros a nível da rede sanitária do município de Quipungo constitui uma prioridade no quadro do Programa de Municipalização dos Serviços de Saúde. 
“Vamos recrutar mais quadros para melhorar os serviços de pediatria, maternidade, laboratório e análises clínicas e pretendemos abrir outros serviços de saúde necessários a comunidade”, sublinhou.
A rede sanitária do município de Quiipungo funciona com oito postos médicos, dois centros de saúde que são assegurados por dois médicos, 32 enfermeiros e um técnico farmacêutico, para um universo de 221 mil habitantes.

Tempo

Multimédia