Províncias

Decana do curso de Medecina anuncia incentivos a alunos

A decana da Faculdade de Medicina da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, Ana Gerardo, disse sexta-feira no Lubango, que a sua instituição pretende oferecer iniciativas a estudantes para que melhorem o trabalho de investigação científica e de extensão universitária.

Decana quer que os trabalhos de investigação sejam melhorados
Fotografia: Estanislau Costa | Edições Novembro

A também médica fez esta afirmação na abertura das nonas jornadas científicas da faculdade de medicina sob o lema: "A integração do estudante no processo de investigação científica e extensão universitária para o desenvolvimento”.
A intenção, explicou Ana Gerardo, passa pela participação dos estudantes em eventos do género, como sendo encorajadora, porquanto contribui para a sua motivação pela actividade científica e indispensável ao desenvolvimento do pensamento criativo da inovação e da capacidade de procurar soluções para a resolver problemas.
Para o efeito, afirmou a decana, a Faculdade de Medicina reafirma como estratégia a visão da universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMN), o envolvimento dos docentes, enquanto tutores para a integração dos estudantes no processo de extensão universitária e de investigação científica.O evento, com a duração de um dia, tem como objectivo proporcionar aos estudantes oportunidades para o exercício metodológico inicial de investigação científica e de extensão universitária, bem como sensibilizar a comunidade académica sobre o papel determinante do grupo alvo acima referenciado nos referidos processos.      A Faculdade de Medicina da UMN tem este ano matriculado do primeiro ao sexto ano, 547 estudantes.
Ao abrigo do Decreto 7/09 de 12 de Maio, sobre a Expansão do Ensino Superior em Angola, foi criada a Faculdade de Medicina da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, que a sua sede na cidade do Lubango, capital da província da Huíla.

Tempo

Multimédia