Províncias

Defendida reestruturação das famílias na província

O arcebispo da Arquidiocese do Lubango, Dom Gabriel Mbilingui, defendeu domingo, na capital da Huíla, a necessidade de a sociedade trabalhar seriamente em prol da reestruturação das famílias.

Vista parcial da cidade do Lubango onde arcebispo defende mais amor ao próximo
Fotografia: Edson Fabrício | Huíla - Edições Novembro

Falando durante a homilia do Dia da Epifania, assinalado domingo, na Paróquia de Nossa Senhora das Dores, o arcebispo exortou as famílias angolanas, principalmente as cristãs, a serem perseverantes na busca do amor, perdão e da reconciliação, por serem valores fundamentais para o crescimento de uma sociedade sã.
Indicou como a única via para reconstruir as famílias angolanas a busca na palavra de Deus e na fé, sendo que muitos cristãos não têm tido em conta este pressuposto.
Dom Gabriel Mbilingui afirmou que determinados cristãos têm enveredado por caminhos nada abonatórios para a sociedade. O também presidente do Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagáscar (Secam) referiu que os angolanos devem ter a capacidade de criar o amor, no sentido de conquistar o perdão de Deus, semear a paz e a harmonia nos lares.
Apelou às famílias cristãs e da Igreja Católica, em particular, para continuarem a trabalhar na evangelização da palavra de Deus e no reforço das boas práticas.
O arcebispo da Arquidiocese do Lubango disse ser importante que cada angolano participe nas tarefas do país, para se ter uma sociedade saudável, livre de discórdia e de falta de amor ao próximo.
Assistiram à missa campal mais de mil fiéis vindos das paróquias Imaculada Conceição, de Nossa Senhora da Assunção, das Dores, Mapunda e de Santa Teresinha.

Tempo

Multimédia