Províncias

Defendidas acções de fomento à agricultura

João Luhaco |Lubango

Vários projectos nas áreas da agricultura familiar, educação para a cidadania participativa e advocacia para o registo eleitoral são implementados este ano, pela Acção de Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) nas antenas Huíla e Cunene, anunciou ontem, no Lubango, o director regional da organização.

Simeone Justino considerou positivas as acções realizadas pela sua organização
Fotografia: Edições Novembro

Simeone Justino salientou que as tarefas constam do plano estratégico referentes ao exercício de 2017, tendo as estratégias sido deliberadas numa reunião de três dias, que analisou as actividades desenvolvidas no ano transacto.
Durante a reunião, os participantes balancearam a implementação de seis projectos virados à planificação e organização da ADRA nas duas províncias, tendentes à aliviar a fome e a pobreza no seio das comunidades rurais.
Simeone Justino considerou positivas as acções realizadas, tendo em conta o alcance das metas preconizadas, tais como o saneamento total liderado pela comunidade, desenvolvimento local sustentável, educação e cidadania, advocacia e desenvolvimento organizacional.
“As iniciativas beneficiaram de financiamentos de organizações internacionais, estimados em mais de um milhão de dólares, desenvolvidos nos municípios de Cacula, Caluquembe, Humpata, Gambos, Chibia, Lubango e Quipungo (província da Huíla) e Ombandja (Cunene)”, disse Simeone Justino, que informou que o programa atingiu 6.037 famílias, num total de 36.322 pessoas, que receberam o apoio directo da ADRA neste período. “Apesar dos problemas originados pela crise económica e financeira, que afectou o país, foi possível realizar estas empreitadas.”

Desafio para este ano

Comparativamente ao ano transacto, Simeone Justino avançou que os desafios, para 2017, são maiores, uma vez que o número de projectos aumentou.
Em ao registo eleitora, o director regional da ADRA, Antena Huila e Cunene, apelou à população para aderir aos postos de registo eleitoral para a actualização dos dados.
Simeone Justino referiu que a ADRA, por ser uma organização virada à advocacia, é chamada a fazer parte deste importante processo de democracia e de cidadania.
“Cada um de nós tem uma tarefa a cumprir e, cientes daquilo que é a missão social, a ADRA não pode defender nenhuma cor partidária, mas temos a obrigação de promover o processo de educação cívica para a cidadania no seio das comunidades”, concluiu.

Tempo

Multimédia