Províncias

Defendido reforço da qualidade no ensino superior

Arão Martins | Lubango

O Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED), na província da Huíla, promove a cultura da melhoria da qualidade da formação e da investigação científica, disse ontem, no Lubango, o director geral da instituição.

Director do ISCED pede maior entrega de docentes e discentes para a excelência do ensino
Fotografia: Arão Martins | Lubango - Edições Novembro

José Luís Alexandre falava na primeira aula do ano lectivo na instituição e referiu que o ISCED tem disponíveis 14 licenciaturas, dois mestrados e igual número de doutoramentos abertos em breve.
Neste ano académico, estão matriculados no ISCED 6.432 estudantes, dos quais 889 inscreveram-se pela primeira vez. No ano lectivo passado, a instituição formou 282 licenciados.
“O instituto conta com dois centros de investigação”, disse José Luís Alexandre, que acrescentou: “O Executivo orienta-nos a promover, cada vez mais, um ambiente académico onde o sucesso, a excelência, o mérito e a inovação constituem a principal motivação de  todos, entre professores, investigadores científicos e estudantes.”
José Luís Alexandre disse que os docentes devem cultivar nos estudantes a cultura do mérito, pois, referiu, que só assim é possível atingir a qualidade desejada.
Referiu que o ISCED-Huíla é uma das mais antigas Instituições do Ensino Superior Pública em Angola e, desde 1980, atingiu grandes patamares na formação de professores para vários níveis.
José Luís Alexandre assegurou que, no âmbito das responsabilidades de trabalhar para o crescimento e melhoria da qualidade do ensino superior público no país, a instituição aposta cada vez mais na formação dos seus docentes.
“Existem planos para cursos de pós-graduado, dentro e fora do país, através de projectos decorrentes nos centros de investigação e também no Instituto Nacional de Gestão de Bolsas Externas”, disse o director geral do ISCED.
José Luís Alexandre realçou o bom ambiente de cooperação entre a direcção do ISCED-Huíla e o Governo Provincial, assim como com outras instituições públicas e privadas, que têm ajudado o crescimento da instituição. Com isso, disse que espera da instituição uma participação activa para o desenvolvimento económico, social e cultural do país, por isso garante trabalhar no aprimoramento dos processos que poderão garantir tal correspondência.
Em relação aos estudantes, José Luís Alexandre disse acreditar num grande dinamismo, que se traduza numa postura activa e participativa no processo de ensino e na adopção da investigação científica como “arma” de aperfeiçoamento e aprofundamento constante dos conhecimentos, habilidades e valores. Aos novos estudantes, José Luís Alexandre pediu empenho e dedicação, pois   trata-se de uma grande oportunidade ao ingressarem no ensino superior, “daí a necessidade de aproveitarem ao máximo para se tornarem em grandes professores com mérito”.

Referência na formação


A vice-governadora provincial da Huíla para o sector Político e Social, Maria João Chipalavela, presente no acto, disse que com mais de 30 anos de existência, o ISCED-Huíla, como uma instituição do ensino superior, tem como responsabilidade formar professores para o primeiro, segundo ciclos e o ensino médio, e também outras especialidades. Maria João Chipalavela considerou a instituição uma das referências no país na formação de docentes e na acumulação do conhecimento científico, traduzido pelos resultados dos trabalhos de licenciatura. “Agora há um forte investimento na formação de mestres e doutores, o que, certamente, vai aumentar as suas responsabilidades, para que se continue a apostar numa aprendizagem de qualidade”, sustentou.
Maria João Chipalavela defendeu a qualificação e avaliação do desempenho dos professores, para que os eles possam assegurar os três pilares das instituições do ensino superior, o ensino, investigação e extensão.
No contexto permanente de inovação, Maria João Chipalavela disse que é preciso adequar as estratégias e os processos metodológicos de ensino, pois, referiu que a qualidade da aprendizagem dependem das estratégias didácticas a utilizar, principalmente no momento em que precisa-se de formar cidadãos activos e participantes no desenvolvimento. “É cada vez mais urgente que no contexto de mudanças se reforce o sentimento ético e deontológico do corpo docente e que se melhore o perfil de saída dos estudantes. Que se  aperfeiçoe e optimize o desempenho dos diferentes departamentos de ensino, para que se alcancem resultados definidos nas estratégias de governação”, disse.
O presidente da associação dos estudantes do ISCED, Filipe Cativa, solicitou da direcção da instituição a melhoria das condições de trabalho, sobretudo nos laboratórios: “É necessária a criação de mais espaços para que outros jovens possam ter a oportunidade de frequentar o ensino superior.”

Tempo

Multimédia