Províncias

Desempenho dos administradores é avaliado

Domingos Mucuta | Lubango

O desempenho dos administradores municipais passa a ser avaliado em função das tarefas realizadas e dos resultados obtidos em prol do bem-estar da população durante o ano económico, anunciou na cidade do Lubango o director nacional da Administração Local do Estado.

Membros do Governo e técnicos de unidades de gestão em seminário sobre Modelo de Relatório da Administração Local do Estado
Fotografia: Arimateia Baptista |

Belisário dos Santos, que orientou o seminário sobre “Modelo de Relatório da Administração Local do Estado”, dirigido a gestores locais e técnicos de unidades de gestão, sublinhou que a avaliação vai ter influência nas propostas de exoneração ou nomeação dos administradores municipais.
O Ministério da Administração do Território prepara neste momento o plano estratégico para melhor acompanhamento das Administrações Municipais, sobretudo na execução dos projectos constantes nos planos de desenvolvimento.
O manual do administrador apresenta as tarefas concretas que devem ser realizadas para o desenvolvimento do município. O manual está alinhado com o sistema de avaliação do desempenho dos administradores municipais, com base nos resultados. As tarefas constantes no manual estão identificadas por sectores da vida do município.
Os resultados permitem concluir o cumprimento ou não das tarefas. Para tal, as Administrações devem ter equipas capazes de medir os indicadores de partidas e os níveis de progresso. Belisário dos Santos ressaltou que o processo de transferência das tarefas do nível provincial para municipal já está consolidado em Luanda.
“Há tarefas que eram do nível provincial, agora passam para a responsabilidade dos administradores, do ponto de vista de execução, cabendo aos Governos Provinciais o papel de coordenação, supervisão e fiscalização, de acordo com o alinhamento nos planos nacionais”, disse. Os relatórios devem ser uniformizados e alinhados com os planos e estratégias de desenvolvimento dos municípios, províncias e do país. Esta cadeia torna mais fácil avaliar os indicadores a qualquer nível da governação, já que, em muitos casos, há muitos resultados a ser obtidos, mas não estão a ser reportados. O director nacional da Administração Local do Estado felicitou a província da Huíla por ser a primeira a manifestar o interesse de abordar as questões de uniformização do modelo do relatório, que contou com contribuições de vários Ministérios, Universidades e técnicos experimentados na matéria.

Mais recursos financeiros

A Direcção Nacional da Administração Local está a advogar a alocação de mais recursos para as Administrações Municipais, porque entende que não basta transferir responsabilidades, mas também recursos para alavancar o cumprimento das tarefas programadas.
A vice-governadora da província da Huíla para o Sector Político e Social, Maria João Chipalavela, disse na abertura do encontro que a uniformização do modelo de relatório traz novas ferramentas para as Administrações e Governos Provinciais, para melhor monitorização dos projectos e programas.
Maria João Chipalavela lembrou que a elaboração de qualquer relatório requer, acima de tudo, uma boa colheita de dados e informações.
 “Só assim é possível registar, de uma forma eficaz e eficiente, em função do desenvolvimento económico, político e social do contexto”, referiu a vice-governadora da província da Huíla para o Sector Político e Social.

Tempo

Multimédia