Províncias

Disciplina de Nhaneka-Humbe inova ensino na região da Huíla

Domingos Mucuta |Humpata

O ensino  da língua nacional Nhaneka Humbe nas escolas primárias públicas e privadas da província da Huíla é uma inovação no sistema educativo este ano lectivo.
O coordenador de línguas nacionais da Direcção Provincial da Educação, Ezequiel Kambindangolo, abordou o tema no encontro metodológico que decorreu até sexta-feira, na Humpata.

Autoridades desenvolvem esforços para que se valorize as linguas tradicionais mais faladas a nível das comunidades da província
Fotografia: Arimateia Baptista

O ensino  da língua nacional Nhaneka Humbe nas escolas primárias públicas e privadas da província da Huíla é uma inovação no sistema educativo este ano lectivo.
O coordenador de línguas nacionais da Direcção Provincial da Educação, Ezequiel Kambindangolo, abordou o tema no encontro metodológico que decorreu até sexta-feira, na Humpata.
 Anunciou que o processo de ensino da língua, iniciado em 2006, decorre de forma experimental em sete escolas dos municípios do Lubango e Chibia, abrangendo 2.366 alunos abrangidos até ano lectivo 2011.  A introdução no currículo escolar da língua Nhaneka-Humbe foi acolhida “com muita satisfação” pelas comissões de pais e encarregados de educação que louvaram a iniciativa do Ministério da Educação.
“A comunidade reconhece que as línguas nacionais jogam um papel importante na sociedade por contribuírem para o desenvolvimento do país em todas as vertentes. Elas são o suporte do conhecimento de uma comunidade e o elo de transmissão da cultura do povo”, afirmou o responsável.
O projecto, salientou o responsável da área de línguas nacionais, arrancou com a formação dos primeiros 30 professores e a adaptação dos manuais de leitura da primeira e segunda classes e de livros de histórias em língua Nhaneka.

Critérios de selecção

O coordenador explicou que a selecção da língua Nhaneka-Humbe obedeceu a critérios previamente definidos pelo Ministério da Educação, referindo que a nível nacional, o ensino experimental é em função da língua nacional mais falada na região.
“A Huíla possui um mosaico etnolinguístico diversificado, mas o Nhaneka-Humbe foi escolhido também por a escola de professores ter formado pessoas com conhecimentos para falar e escrever fluentemente a língua”, disse, acrescentando que o projecto abrange o ensino da língua nacional por meio da rádio. O funcionário da Direcção Provincial da Educação anunciou para breve o início de acções de formação de mais professores nos municípios da Matala, Quipungo, Humpata, Lubango e Chibia, nas disciplinas de Nhaneka-Humbe, Umbundu e Ngangela, com vista à expansão do projecto a mais unidades de ensino.

Comportamento de directores

O responsável afirmou que alguns directores de escolas depreciam o valor das línguas nacionais, desincentivando os professores a leccionar. Por isso, pediu o envolvimento do governo nesta questão.

Tempo

Multimédia